Sess?o na ALPB termina em bate-boca e Barbosa chama Tovar de delinquente

11
COMPARTILHE

A sessão desta quinta-feira (26) na Assembleia Legislativa da Paraíba foi marcada por tumulto e confusão entre os parlamentares. A briga foi protagonizada pelos deputados Ricardo Barbosa (PSB) e Tovar Correia (PSDB), que exaltados trocaram farpas e acusações. O episódio foi controlado pelo presidente da Casa, deputado Adriano Galdino (PSB), que encerrou a sessão pedindo para que a ALPB não se tornasse uma “ringue de briga de galo”.

Leia mais notícias de Política do Portal Correio

A discussão entre os parlamentares começou quando Tovar Correia fez referência as palavras do deputado Bruno Cunha Lima (PSDB), que anunciou que o PSDB entrará na Justiça com um mandato de segurança para anular a sessão dessa quarta-feira (25) na ALPB e, consequentemente, extinguir o requerimento aprovado na Casa solicitando ao Governo do Estado o envio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para criar o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Quem estava na ALPB presenciou o clima de tensão entre os parlamentares. A sessão da quinta-feira foi presidida por Ricardo Barbosa e hoje Tovar criticou o socialista afirmando que ele agiu de má fé. “A oposição não cochilou. Houve sim uma tentativa de ludibriar os deputados usando o Regimento Interno e o deputado sabe bem como fazê-lo”, acusou Tovar.

Em resposta, Barbosa partiu para o ataque e chamou Tovar de delinquente relembrando o caso em que o tucano foi preso no ano passado pela Polícia Federal suspeito de compra de votos. “Você para ser deputado nesta Casa foi pego pela Polícia Federal seu fila da puta (sic). Você foi pego pela Polícia Federal seu delinquente”, disparou.

O presidente Adriano Galdino interveio da discussão e recriminou Barbosa pelas acusações feitas a Tovar. “Eu quero dizer que repudio sua agressão ao deputado Tovar. Essa não é a maneira de deputado se comportar nesta Casa. Me perdoe a franqueza. Você tem o direito de usar a tribuna, fazer seu discurso, questionar quem quer que seja. Todos nós temos esse direito, mas tratar qualquer um de nós com palavras de baixo nível, isso não é papel de deputado”, reclamou.

Barbosa tentou se justificar, mas Galdino também terminou se exaltando e, encerrando a sessão, pediu para que a Casa Epitácio Pessoa não se torna-se um ringue de briga de galo. “Isso ocorrido não podemos aceitar, que um deputado trate outro com palavras pejorativas e acusações das mais diversas, isso é muito ruim. Você é um homem de bem deputado, mas hoje essa Casa foi violentada, nesse aspecto, quando um deputado agride outro da maneira que você agrediu é ruim para a Assembleia. Encerro a sessão e espero que na terça, os deputados venham cumprir o seu papel de parlamentares. A Paraíba não quer ver a Assembleia como uma rinha de galo de briga”, brandou.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas