Início Geral

Vale tudo pela lideran

Se for eleito, hoje, líder do PMDB na Câmara Federal, o paraibano Hugo Motta poderá vangloriar-se, pois terá vencido não apenas um colega, o fluminense Leonardo Picciani, mas o candidato que recebeu apoio dos Palácios do Planalto e da Guanabara (Rio de Janeiro). É missão quase impossível.

Quando a campanha para a liderança foi deflagrada, a bancada contava com 67 deputados. Hoje, dia da eleição, poderão ser contados mais de 70 votos – além de quatro licenciados, entre eles os ministros da Saúde (Marcelo Castro) e Ciência e Tecnologia (Celso Pansera) que reassumem os mandatos, uma “ação” do governador do Rio de Janeiro, Fernando Pezão integrou um novo filiado.

Esse voto extra – para Leonardo Picciani, é claro – resulta da convocação de Ezequiel Teixeira, único deputado eleito pela coligação SD/PSL no Rio de Janeiro, para a Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, abrindo vaga para a posse do suplente Átila Nunes, que já tinha trocado o PSL pelo PMDB e recebeu sinal verde da Executiva Nacional para participar da votação.

Em eleição até então equilibrada, cinco votos podem fazer a balança pender para o governista Leonardo Picciani, repetindo o que aconteceu em dezembro passado, quando uma semana após ser destituído, reassumiu graças aos mesmos personagens, a exceção do suplente Átila Nunes, impedido de assumir.

Conta a favor de Hugo Motta a escolha ser por voto secreto. Funcionou na decisão da Comissão do Impeachment, quando os governistas foram derrotados. Importa o apoio de lideranças de outras legendas que argumentam a seu favor. Mas, no momento em que o governo interfere, as atenções se voltam para o presidente Eduardo Cunha, que foi o “criador” de Picciani e virou alvo de sua “criatura”. Terá realmente poder para neutralizar essas jogadas?

Independente do resultado, Hugo Motta sairá maior da disputa. Com apenas 26 anos e no 2° mandato, mostrou ousadia e coragem ao aceitar o desafio de confrontar não apenas Picciani, mas o poderoso grupo que representa. São as atitudes que fazem um líder.

Torpedo

“Seis homens assaltaram 200 pessoas, levando celulares, carteiras e outros objetos. (…) Tem sido cada vez mais difícil acreditar que algo vai mudar quando não vemos nada sendo feito e as notícias sempre são piores”.

De Daniella Ribeiro (PP), lamentando na Assembleia a criminalidade em Campina, que não poupa nem quadrilha junina.

Olhos no TCE

As contas de 2014 da Secretaria de Saúde estarão em pauta, às 9h de hoje, no TCE. É a que apurou a quantidade e o impacto dos chamados “codificados” nas contas do ano eleitoral. O relator é Nominando Diniz.

Vínculos

No dia 25, o auditório do TCE ficará pequeno, porque será a vez do julgamento das contas de Ricardo Coutinho, também de 2014. Por que? Tem informações decisivas para os processo que pedem sua cassação, no TRE.

Justificativa

RC culpou o TCE pelo atraso na retomada das obras da Perimetral Sul. A Corte revelou o motivo: investiga porque o seu custo saltou de R$ 6,5 milhões na primeira licitação, em 2014, para R$ 22 milhões na segunda.

Desligado

O deputado Frei Anastácio (PT), que resistia à decisão do partido de apoiar Ricardo Coutinho, já não integra a bancada da oposição. Anunciou que agora é “independente”, ou seja, aprovará o que for bom para o povo.

Zigue-Zague

O desembargador Oswaldo Trigueiro, coordenador da Priorização do 1º Grau do TJPB, anuncia plenárias para discussão do orçamento de 2017. Inicia em março.

Os encontros começa por Cajazeiras, depois Sousa, Patos, Guarabira, Campina Grande e João Pessoa, com participação de magistrados e servidores.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.