Moeda: Clima: Marés:
Início Notícias

Veja o que fazer caso encontre óleo nas praias da Paraíba

Com o reaparecimento de fragmentos de óleo, em formato de gotículas, em praias da Paraíba, é bom estar preparado e saber o que fazer caso se depare com a substância. As pequenas manchas do que pode ser petróleo cru foram encontradas nas praias de Barra de Gramame, em João Pessoa, e Tambaba, em Conde, nesse domingo (27). Veja as recomendações abaixo.

As orientações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde no último dia 25 de outubro, e recomenda que a população não entre em contato direto com o óleo, especialmente gestantes e crianças. Também é preciso observar as orientações da vigilância sanitária para o consumo de alimentos, como peixes e mariscos, provenientes das áreas afetadas.

Efeitos à saúde

A curto prazo a inalação de vapores do óleo cru pode causar:

  • Dificuldades de respiração;
  • Pneumonite química;
  • Dor de cabeça;
  • Confusão mental;
  • Náuseas.

Em caso de contato com a pele, podem aparecer:

  • Irritações na pele;
  • Erupções vermelhas;
  • Queimação;
  • Inchaço, podendo haver complicações em outras regiões do corpo.

A ingestão pode causar:

  • Dores abdominais;
  • Vômito;
  • Diarreia.

A exposição, a longo prazo, pode causar:

  • Danos aos pulmões, fígado, rins e sistema nervoso;
  • Supressão do sistema imune;
  • Desequilíbrios hormonais e infertilidade;
  • Problemas no sistema circulatório;
  • Câncer.

Recomendações à população

  • Não entre em contato direto com a substância, especialmente crianças e gestantes;
  • Evite contato com água, areia e solo nas regiões atingidas;
  • Siga as orientações da vigilância sanitária para consumo de peixes e frutos do mar nas regiões afetadas;
  • Siga as orientações dos órgãos de meio ambiente sobre atividades recreacionais e de pesca nas regiões afetadas;
  • Em caso de exposição e aparecimento de sintomas, entre em contato com o Centro de Informações Toxicológicas (0800 722 6001);
  • Procure atendimento médico.

Comentários

Marcelo Elias disse:

URGENTE: em comentário anterior para o PortalCorreio, dentre MUITAS sugestões nossas e de especialistas consultados, priorizamos a criação de Comitê estadual integrado por TODAS as áreas envolvidas, com a finalidade de MONITORAR tipo sintonia fina a evolução DIA a DIA das manchas nas praias, limpando-as IMEDIATAMENTE, deixando-as em condição de uso SEGURO. O outro ponto estratégico é o de pressionar o MPF para que o Governo Federal aplique URGENTEMENTE o Plano de Contigenciamento existente, especialmente por causa do quadro de vazamento estar assumindo contornos sombrios e preocupantes: petróleo cru venezuelano + sanções americanas proibitivas de exportação ao óleo da Venezuela – Venezuela em crise política e econômica catastróficas, só lhe restando exportar, DE QUALQUER JEITO seu único produto de exportação capaz de minimizar um pouco seu desastre econômico, o que pode estar levando-a a enviar seus petroleiros para as águas internacionais, transbordando-o para 1000 petroleiros de países sem bloqueio dos EE.UU,em águas internacionais, o que pode ocasionar vazamentos e afins, perpetuando os derramamentos que poderão DESTROÇAR a economia turística nordestina. O Brasil tem que ir urgente à ONU e OEA para barrar o imbroglio acima, denunciado pela imprensa internacional. Talvez seja o caso de recorrer a ajuda fiscalizatória especial dos EE.UU, consultando até Agências mundiais petrolíferas (OPEP e entidades dos navios petroleiros, estas últimas na tentativa de acompanhar os transportes piratas )
MARCELO ELIAS, paraibano princesense, radicado em Brasília – Avaliador do TRIPADVISOR a caminho de 4000 avaliações e DOIS MILHÕES DE LEITORES

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.