Fest Verão

'Beneficiará os mais pobres'

Coleta

Bolsa família

formandos-denunciam-que-empresa-de-jp-teria-dado-golpe-de-mais-de-r-1-milhao
Sede da empresa Waltisa Eventos, em JP/Foto: Reprodução/Google Street View

'Ainda não há golpe', diz delegada sobre denúncia de formandos

Gadi relatou que não há fundamentos para realizar a prisão da proprietária, tendo em vista que nenhum dos alunos teve prejuízo real até o presente momento

3271
COMPARTILHE

Alunos de pelo menos 10 turmas de faculdades de João Pessoa procuraram a Polícia Civil e nessa segunda-feira (11) registraram Boletim de Ocorrência na Delegacia de Defraudações e Falsificações da Capital contra a empresa Waltisa Eventos. Segundo a denúncia das supostas vítimas, a dona da empresa teria sumido com mais de R$ 1 milhão que seriam destinados aos eventos de fim de curso. Porém, ao Portal Correio, a delegada adjunta de defraudações de João Pessoa, Wanderleia Gadi, disse que o caso ainda não pode ser tratado como golpe porque os eventos estão dentro do prazo para acontecer.

Gadi relatou que não há fundamentos para realizar a prisão da proprietária porque nenhum dos alunos teve prejuízo real até esta terça (12). A desconfiança surgiu quando membros de uma das turmas receberam uma ligação da casa de eventos que sediaria o baile de formatura informando que o aluguel do espaço ainda não havia sido quitado, a menos de um mês da data da festa.

De acordo com a delegada, as empresas estão relatando que as datas estão reservadas e que, por Waltisa ser “renomada na Capital”, ela tem “total confiança para pagar até mesmo no dia do evento”.

Ainda segundo ela, Waltisa é procurada para esclarecer a situação, mas não está foragida porque até agora não houve crime registrado. “Vamos ter que aguardar o próximo evento para saber se ele vai acontecer ou não. Não acontecendo, vamos instaurar o inquérito, mas até agora não houve golpe. O último evento que tinha Waltisa como fornecedora, na sexta-feira (8), aconteceu, então não vamos nos precipitar”, explicou.

Apesar do caso não poder ser tratado como golpe, Gadi suspeita das atitudes da empresária. “O próximo evento marcado é para segunda-feira (18). É provável que ele não aconteça porque as atitudes de Waltisa são realmente suspeitas; ela excluiu todas as redes sociais e não atende nenhum telefonema. Falamos com o pai dela, mas ele relatou que o último contato que teve com a filha foi sábado (9)”, disse.

Ao Portal Correio, a delegada ainda informou que câmeras registraram, no último sábado (9), Waltisa e sua equipe recolhendo material e móveis da sede da empresa, localizada na Avenida Monsenhor Walfredo Leal, 205, no Centro de João Pessoa.

Caso

Representantes das turmas compareceram à sede da Waltisa Eventos, no bairro de Tambiá, nas proximidades do Centro de João Pessoa, na tarde dessa segunda-feira (11), para tentar falar com algum empregado da empresa, mas encontraram o local fechado. Uma funcionária contou à polícia que não conseguiu trabalhar. Ela afirmou que não conseguiu abrir a porta com as chaves que tinha e que está há meses sem receber salário.

“A gente tem informação de que nada foi quitado”, revelou Cristiane Luna, uma das estudantes que denunciam a empresa.

Segundo a denúncia das supostas vítimas, a dona da empresa teria sumido com mais de R$ 1 milhão que seriam destinados aos eventos de fim de curso.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas