Início Notícias

Cardiologista Marco Aurélio Barros morre por Covid-19 em JP

Morreu, na manhã desse sábado (1º), o cardiologista Marco Aurélio Barros, aos 85 anos, vítima da Covid-19. Ele estava internado na UTI de um hospital privado de João Pessoa e não resistiu aos sintomas da doença. O médio era natural de Campina Grande.

Leia também: PB fecha semana com menos casos e mortes por coronavírus

O médico foi um dos fundadores do Hospital Samaritano, unidade hospitalar particular da Capital. O Sindicato dos Médicos da Paraíba (Simed-PB) emitiu uma nota de pesar, lamentando o falecimento do cardiologista.

Veja a nota:

“O Sindicato dos Médicos da Paraíba comunica, com profundo pesar, a morte do médico Marco Aurélio Barros, nesse sábado (01). Dr. Marco Aurélio era cardiologista e foi um dos fundadores do Hospital Samaritano, em João Pessoa. Também foi professor e exerceu várias funções importantes na UFPB. O Simed-PB, em nome de todos os associados, lamenta a morte de Dr. Marco Aurélio e se solidariza com a família e com os amigos. Que Deus conforte o coração de todos neste momento de despedida e profunda tristeza.”, diz a nota.

Currículo

Marco Aurélio de Oliveira Barros formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia, em 1958. Estagiou no Departamento de Cardiologia da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, em 1961; no Instituto Nacional de Cardiologia do México, em 1962. Em 1964, iniciou suas atividades na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) como instrutor de ensino; posteriormente, foi nomeado professor assistente, professor adjunto e, em 1978, conquistou o título de professor livre docente, doutor em Medicina.

Na UFPB, exerceu várias funções, como: vice-diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS); diretor do Núcleo de Medicina Tropical; fundador e coordenador do Programa de Residência Medica; e diretor-presidente da Cooperativa Cultural. Em 1970, ao lado dos médicos Augusto de Almeida Filho e Lavoisier Feitosa, criou o Hospital Samaritano. Foi também presidente do Programa Internacional dos Companheiros das Américas Paraíba-Connecticut (EUA) e da Academia Paraibana de Medicina, no biênio de 1997 a 1999.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.