Início Pandemia

Casos de coronavírus caem na PB e 84% das cidades entram na bandeira amarela, com menos restrições

Embora haja melhora no cenário epidemiológico do estado, ainda é necessário esforço da população
‘Novo Normal’ em 17/04/2021 (Foto: Divulgação/SES)

A 23ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba traz um expressivo crescimento no número de municípios paraibanos em bandeira amarela. São 187 cidades, o que equivale a 84% da Paraíba. O balanço das novas bandeiras passa a vigorar no estado a partir desta segunda-feira (19). 
 
De acordo com a Nota Técnica, o período entre a 22ª e 23ª avaliações mostrou uma tendência de redução das taxas de transmissibilidade e de ocupação hospitalar dos leitos de terapia intensiva adulto em toda a Paraíba. Além da importante transição para bandeiras amarelas, oito municípios também se destacam por saírem da bandeira vermelha para a laranja, que atualmente representam 16%. Apenas cinco municípios seguem na bandeira vermelha, que são: Prata, Santa Terezinha, São José do Bonfim, São Mamede e Uiraúna. Assim como na 22ª avaliação, a Paraíba continua sem municípios na bandeira verde. 
 
O secretário executivo da Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, afirma que, embora haja uma melhora no cenário epidemiológico do estado, ainda é necessário um esforço da população no sentido de seguir usando máscaras com frequência e não se aglomerando. Além de manter boa higiene das mãos, esses são gestos de solidariedade em favor da proteção da vida de todos.
 
Sobre a situação dos leitos hospitalares, o secretário executivo afirma que de janeiro a março deste ano foi possível observar um expressivo aumento da ocupação dos dedicados à Covid-19, em especial os leitos de UTI adulto. Porém, na primeira quinzena de abril, foi possível observar uma interrupção desse crescimento, com redução no que concerne à 1ª Macrorregião de Saúde e quebra das tendências de crescimento das taxas de ocupação destes leitos na 2ª e 3ª Macro. 
 
“Isto de se deu em função da robusta ativação de leitos dedicados à Covid-19. São 398 leitos estaduais ativados só em 2021, sendo alcançados 1.234 leitos ativos para os cuidados à Covid-19 na Paraíba. São 549 leitos de terapia intensiva e 685 leitos de enfermaria/UDC. Estes números demonstram a imensa resiliência do sistema de saúde paraibano, em especial no que diz respeito às suas capacidades adaptativas para ampliação rápida e efetiva de ofertas hospitalares em tempos de crise”, pontua. 
 
A 23ª avaliação também traz um recorte de como está a campanha de vacinação contra Covid-19 na Paraíba. O estado é o 3º ente federativo em número de doses aplicadas, tendo uma razão média de aplicação de mais de 13% de primeiras doses em relação à população estadual. Daniel Beltrammi destaca que já é possível ver os efeitos da vacinação por meio da redução em 11% das internações dos idosos, e 12% daqueles com mais de 80 anos. Ele reforça que, uma vez vacinadas, as pessoas devem continuar seguindo rigorosamente as recomendações quanto a proteção individual e coletiva.
 
Sobre a taxa de letalidade, o secretário executivo afirma que a 1ª Macrorregião de Saúde volta a se destacar neste momento pandêmico por apresentar letalidade pela Covid-19 acima do indicador estadual de 2,3%. Entre os 33 municípios com letalidade acima da taxa estadual, estão aqueles que permaneceram em bandeira vermelha nesta 23ª avaliação do PNN, além dos municípios que permaneceram em bandeira laranja.
 
Daniel Beltrammi lembra ainda que a pandemia da Covid-19 tem apresentado um comportamento cíclico, alternando fases de estabilidade e piora de forma cada vez mais rápida. Por isso pede o esforço dos paraibanos para que o estado não precise testemunhar um cenário de perdas igual ao de março deste ano. “Só nosso firme compromisso em defesa da vida poderá nos poupar de momentos de elevada tristeza, como os que vivenciamos, potencialmente reproduzíveis ainda no 1º semestre deste ano. Somente sua decisão e coragem são capazes de nos proteger e poderão nos manter seguros agora e no futuro. Esta tarefa é contínua e de todos nós”, completa.

Palavras Chave

PandemiaSaúde

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.