Início Consumidor

Como evitar as fraudes e aproveitar promoções na Black Friday?

Especialista do Unipê dá dicas e fala da importância de refletir sobre a necessidade real das compras

Evento marcado na agenda de muitos brasileiros, a Black Friday já ocorrerá no Brasil neste dia 26 de novembro e deve movimentar, mais uma vez, o e-commerce. Os brasileiros já têm feito planos sobre os produtos que pretendem adquirir on-line, fazendo pesquisas de preços nos diversos sites. No entanto, uma preocupação importante nesse momento de compra deve estar na mente dos consumidores: como evitar as fraudes?

Para se ter uma ideia, um balanço da Konduto, antifraude para e-commerce e pagamentos digitais, a tentativa de fraudes nos pedidos on-line feitos na Black Friday de 2020 ficou em 1,35%. Segundo o Serasa, as mais comuns no meio on-line durante o evento são: aumento dos preços dos produtos na véspera, e no dia são anunciados descontos mais vantajosos, o que realmente não são; anúncios em algumas lojas podem direcionar o consumidor à descontos com relógio de contagem regressiva, mas a finalização da transação leva a um preço maior do que o esperado pelo consumidor; frete mais caro do que o produto; e o prazo de entrega abusivo.

Pensando nisso, a contadora e economista Ailza Silva de Lima, professora mestra do curso de Ciências Contábeis do Unipê, dá cinco dicas para evitar as fraudes e aproveitar promoções. Confira:

1. Verifique o preço em sites e aplicativos que monitoram preços e apresentam históricos, por exemplo, Zoom e Buscapé;

2. Busque pelo número de reclamações relacionadas à loja na época no Black Friday do ano anterior. O site do Reclame Aqui é um exemplo possível fazer essa pesquisa;

3. Veja se os preços nos aplicativos das lojas são os mesmos daquelas lojas acessadas através dos navegadores;

4. Certifique-se de que os e-mails apresentam ofertas e cupons de descontos;

5. E confira a possibilidade de frete grátis ou retirada em loja, isso diminui muito o custo de entrega.

Compras presenciais

A especialista também dá orientações para quem tem pretensão de comprar em lojas físicas. E a primeira é: em algumas lojas físicas é possível conhecer o produto e, posteriormente, comprá-lo no site com retirada presencial. Mas, para a maioria delas há a possibilidade de alguns dias antes da Black Friday conhecer o que se quer comprar e verificar se os preços foram mudados.

“Quando a loja já é conhecida pelo consumidor fica mais fácil identificar fraudes, quando não é, a possibilidade é verificar se o valor está muito diferente das lojas on-line utilizando os aplicativos de verificação de histórico de preços”, diz Ailza.

Lembrando da crise econômica que atinge milhares de brasileiros atualmente, inclusive com perda de compra, a especialista fala sobre como evitar compras que não são necessárias. E o primeiro pensamento ou estratégia a adotar é entender a utilidade que o produto terá para o consumidor durante um período.

“Pensar quando o produto comprado na Black Friday será utilizado, ou substituir algo que já existe e que não apresenta mais benefício por um produto novo são questionamentos que devem ser feitos antes de realizar uma compra. A compra vantajosa é feita com planejamento e investigação dos preços, para isso existem alguns aplicativos e sites que monitoram variação de preços”, finaliza.

Palavras Chave

Black FridayUnipê
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.