Como funcionam os algoritmos na internet?

Especialista do Unipê explica como o uso deles pode melhorar a experiência do usuário

Você já deve ter reparado que quanto mais tempo transita em sites ou redes sociais, mais aparecem sugestões ligadas aos conteúdos que você busca. Os algoritmos, que são sequências de ações encadeadas para realizar uma tarefa, operam nesse sentido – seu objetivo é dar aos usuários da internet essas informações tão específicas.

Cada algoritmo (não só na internet) tem seu propósito relacionado à intenção que o desenvolvedor espera obter ou fornecer aos usuários, explica o Prof. Me. Rafael Ângelo Vieira Pessoa Lima, dos cursos de TI do Unipê. Ou seja, se você recebe sugestões de compras em sites diversos, músicas ou vídeos em streams e busca algo na internet, são eles que trabalham por trás para lhe dar esses resultados direcionados.

Mas cada serviço cria seu próprio algoritmo conforme seu modelo de negócio, com metodologias diferentes, apesar de sites e redes tentarem prover a melhor informação no momento certo.

“Os vários serviços e aplicações existentes na internet criam algoritmos que se sustentam em áreas como ciência de dados e aprendizado de máquina para que possam processar grande quantidade de dados, obter dos dados informações relevantes e aprender com as informações extraídas. Como resultado, os serviços podem fornecer produtos e notícias que mais se enquadram no perfil do usuário”, conta Rafael.

Melhor experiência aos usuários

A união da ciência de dados com o aprendizado de máquina citadas por Rafael tem propiciado uma revolução na nossa experiência de internet. A primeira é uma área interdisciplinar que alia conhecimentos de estatística, análise de dados e ferramentas computacionais para extrair conhecimento a partir de dados. Já o aprendizado de máquina é um campo da inteligência artificial focado em construir aplicações que conseguem aprender com os dados, além de aumentar a precisão de decisões e previsões baseado em novos dados.

É na interação constante dos usuários que os serviços terão uma grande quantidade de dados que podem ser analisados e usados como apoio para os algoritmos de aprendizagem de máquina. Com isso, conseguem traçar o perfil de interesse das pessoas e dar a elas o melhor em notícias e produtos. “Tudo isso é obtido a partir da análise dos dados recebidos de todos os usuários. Assim, o algoritmo poderá tomar decisões e fornecer as melhores opções para cada um”, pontua o docente.

Para entender

Rafael lembra que o surgimento dos computadores marcou uma nova era na história da humanidade. “Muitas tarefas repetitivas ou que precisavam de um grande processamento puderam ser realizadas com o auxílio deles. Para que isso fosse possível, era necessário que inseríssemos as sequências de ações que eles deveriam executar para realizar essas atividades”, conta.

Então novas tecnologias surgiram com a evolução dos computadores. E, claro, novos problemas apareceram, necessitando soluções. “A internet permitiu que uma grande quantidade de informação pudesse ser compartilhada entre computadores, possibilitando o surgimento de redes sociais, e-commerce, entre outras soluções conhecidas hoje em dia. Cada uma dessas possibilidades requeria algoritmos que resolvessem seus principais problemas ou fornecesse solução para suas demandas primárias”, conclui.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.