Moeda: Clima: Marés:

Como voltar ao trabalho presencial após o home office?

Especialista do Unipê diz ser preciso replanejar a rotina em primeiro lugar

Há dois anos, uma das principais dificuldades que as pessoas tiveram de lidar na pandemia foi o isolamento social. A tensão, o medo e a pressão eram diárias, e ficar distante de outras pessoas também nos dava um mal-estar: o ser humano é um ser social. Hoje a flexibilização do uso de máscaras e o retorno à vida pública nos dão um pouco a sensação de “normalidade”, inclusive no trabalho. Mas como sair do home office e encarar o presencial?

Para a Profa. Ma. Rita Ramalho, do curso de Psicologia do Unipê, a situação tem um ponto em comum com todas as outras da nossa vida: a mudança. Ver isso com naturalidade pode ajudar no retorno ao trabalho presencial. E é preciso replanejar a rotina, o que envolve mudanças de ordem prática e emocional: levar em conta o itinerário do dia a dia e saber manejar as emoções, pois haverá um distanciamento da família durante as horas de trabalho.

“Estamos o tempo inteiro realizando desejos e nos frustrando em relação aos outros desejos. Nem tudo pode ser como nós gostaríamos que fosse. E normalmente nós temos uma habilidade excelente de lidar com as mudanças e com as frustrações. Essa é a caraterística do ser humano”, aponta Rita.

Olhar de maneira positiva é um trunfo: há benefícios, sim, no retorno ao presencial. O trabalho em casa não mais invadirá o espaço de privacidade, há hora certa de trabalhar e de descansar – algo confuso no home office. “E você acreditar que é possível se ajustar à mudança como a tantas outras que você se ajusta na vida o tempo inteiro, entendendo que resistir só vai piorar essa situação”, reflete a psicóloga.

Outros pontos positivos a serem focados, como a sua identificação com o emprego e o que ele lhe proporciona de bem na sua vida. Além disso, lembrar que a imunização vacinal trouxe uma margem de segurança para uma volta mais tranquila.

“O sujeito é um ser social, isso faz bem para a saúde mental das pessoas. A interação com os amigos, com os pares de trabalho, com os superiores, os clientes, e essa relação face to face, cara a cara, isso é muito importante para dar sentido à nossa vida, ao nosso cotidiano”, enfatiza.

Psicoterapia

Terapias com psicólogos são indicadas a pessoas que decidem investir na sua saúde mental. No atual momento são ainda mais importantes para as pessoas que estão com dificuldade de voltar ao trabalho presencial, seja por não conseguirem se desprender da rotina do home office, pelo desconforto que toda mudança traz consigo e, principalmente, por precisar lidar com os medos que se instalaram nas suas vidas durante a pandemia.

“Foram muitas mudanças que chegaram abruptamente, não houve tempo pra processá-las. Lidar com o adoecimento e com a morte, perdas de pessoas próximas, máscaras e álcool como acessórios permanentes, a nossa casa era o lugar mais seguro. Agora as máscaras caem, saímos de casa, voltamos às ruas cheias de gente e os medos ainda podem assombrar algumas pessoas. “A psicoterapia oferece uma excelente oportunidade para que o indivíduo com dificuldades emocionais possa ressignificar esse momento de transição e encontrar saídas saudáveis”, pontua Rita Ramalho.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.