Água
Cagepa orienta consumidor a economizar água (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Consumo de água aumenta com o calor e acende alerta

Com uma primavera seca e poucas chuvas, os paraibanos aumentam o consumo de água e as barragens e açudes começam a secar

221
COMPARTILHE

Com uma primavera seca e poucas chuvas, os paraibanos aumentam o consumo de água e as barragens e açudes começam a secar. Além disso, o clima quente e o calor excessivo faz com que as pessoas gastem água em maior quantidade e, muitas vezes, sem responsabilidade, comprometendo os recursos hídricos no estado.

No entanto, é possível adotar algumas medidas práticas no dia a dia para reduzir o consumo de água na residência. Além de contribuir com a diminuição total das despesas, gera uma economia na conta no fim do mês e contribui diretamente na sua preservação.

A tempratura no Litoral da Paraíba, por exemplo, está oscilando entre 23ºC e 30ºC. No Sertão e Cariri, a temperatura pode chegar aos 37ºC.

Economia de água

Ao Portal Correio, a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) orientou sobre como a população pode ajudar na economia da água. Veja abaixo:

  • Economize 10 litros

Deixe a torneira fechada e lave frutas e legumes numa vasilha com água e vinagre;

Deixe a torneira fechada ao fazer barba ou enquanto escova os dentes.

  • Economize mais de 10 litros

Deixe o chuveiro fechado na hora de se ensaboar.

  • Economize 20 litros

Não deixe a torneira da pia aberta. Ensaboe primeiro toda a louça, e só então enxágüe tudo de uma vez;

Não lave a calçada com a mangueira.

*Atenção ao vaso sanitário: O vaso sanitário é responsável por até 50% do consumo da água de uma casa. Use a descarga só quando necessário e não jogue no vaso objetos que possam ser postos no lixo.

  • Lavagem do carro

Lavagem de carro com a mangueira resulta em um gasto de até 300 litros de água. O certo é usar balde e flanela ou estopa. Fique atento aos vazamentos!

  • Teste o vaso sanitário

Jogue um pouco de pó de café dentro do vaso sanitário. Se o pó ficar no fundo do vaso, tudo bem. Se o pó não ficar parado, existe vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

  • Teste o hidrômetro

Para checar se há vazamento entre o hidrômetro e a caixa d’água, abra o registro do hidrômetro e feche a boia da caixa até interromper o fluxo de água. O hidrômetro deve ficar parado. Se nenhum ponteiro se movimentar, não tem vazamento.

  • Teste a caixa d’água

Para verificar se há vazamento entre a caixa e as instalações internas do imóvel, feche a boia e marque o nível de água na caixa. Feche todas as torneiras e chuveiros e não use vasos sanitários durante 1 hora. Passado esse tempo, meça o nível de água na caixa. Se houver alteração, há vazamento.

Barragens secando

Segundo o gerente de meteorologia da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), Alexandre Magno, é normal as barragens e açudes estarem secos nesta época do ano. De acordo com ele, faz parte do ciclo e a baixa de chuvas colabora diretamente com o desabastecimento. A barragem de Gramame, que abastece municípios de João Pessoa e região metropolitana, está com 60% da capacidade.

“A barragem de Gramame está com menos água, mas é normal, acontece todo ano. A barragem é muito grande e fica com o volume baixo. As chuvas vão cair novamente com maior frequência no fim de dezembro e início de janeiro, aí abastecerão a barragem e o ciclo começa de novo”, explicou.

Situação de emergência em 176 cidades

Uma portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, publicada nessa terça-feira (23), reconheceu situação de emergência em 176 cidades paraibanas por conta da estiagem. Campina Grande e Boqueirão estão na lista.

Notícias mais lidas