Eleições 2018

Eleitores fazem questão de votar mesmo sem obrigatoriedade

Quem também não tem obrigatoriedade de votar são os cidadãos com menos de 18 anos de idade

103
COMPARTILHE

A partir dos 70 anos de idade, o voto é facultativo, ou seja, o idoso não tem obrigação de participar do pleito. Quem também não tem obrigatoriedade de votar são os cidadãos com menos de 18 anos de idade. Porém, alguns deles, fizeram questão de exercer o seu direito nas Eleições 2018.

Leia também: Ruas sujas e demora em filas marcam votação; TRE explica

No Colégio GEO, localizado no bairro de Tambaú, a aposentada Maria do Céu Medeiros, de 90 anos, foi com uma das irmãs, inclusive tendo passado recentemente por uma cirurgia no olho, mesmo estando liberada há duas décadas.

“É muita decepção com os políticos, mas voto porque, se não fizer isso, a situação fica muito pior. Eu acho que as pessoas devem votar nos menos ruins para ver se muda alguma coisa. Acho importante”, declarou.

Para a aposentada Rita Tereza Coutinho, 88 anos, o sentimento é de mudança para melhor. “Estou completamente decepcionada. Quero ajudar a mudar alguma coisa, e só posso fazer isso através do voto”, disse ela, que fez questão de participar das Eleições 2018.

Antônio Virgínio da Costa tem 70 anos e também acordou cedinho para ir às urnas. “Eu sei que a situação está difícil em tudo, saúde, educação, segurança, violência, mas estou animado e esperançoso. Faço questão de votar”, disse.

Em Campina Grande também teve eleitor fazendo questão de votar nas Eleições 2018

“Em Campina Grande, os moradores estão se sentindo presos, enquanto bandidos estão pelas ruas”. A afirmação é de Iraci Pereira, 84 anos, que mesmo sem a obrigação de votar fez questão de ir até a Escola Estadual Elpídio de Almeida, no bairro da Prata. Entre as opiniões dos eleitores, estão o medo de sair de casa.

“Eu espero que, com o meu voto, eu consiga eleger um governador bom na Paraíba, que bote muita polícia para acabar com essas corjas de ladrão porque não tem mais quem aguente ficar em casa trancado como quem está em uma jaula”, acrescentou Iraci Pereira.

A opinião da aposentada é igual a do estudante José Eliandro Soares, 17 anos. De acordo com ele, o temor o colocou no compromisso de comparecer à urna, mesmo não sendo forçado pela Justiça Eleitoral.

José Eliandro votou em Campina Grande (Foto: Chico Martins)

“Eu me senti na obrigação de vir até aqui para tentar fazer o Brasil melhorar. Eu já não saio mais nas ruas a noite, tenho medo da violência, apesar de que isso não muda muita coisa porque dentro de casa também está perigoso”, comentou o estudante que vota na Universidade Federal de Campina Grande.

A aposentada Maria do Socorro Sousa, 79 anos, precisou de ajuda para subir as escadas do Estadual da Prata. De mãos dadas com seu neto, ela disse que não deixaria de comparecer, já que sente a Eleição como uma forma de trazer mais segurança.
“A violência está uma coisa horrível e os homens não querem botar nos eixos. Eu só saio de casa se for acompanhada do meu neto, não tenho coragem de colocar o pé na rua sem ele. Então, tomara que meu voto ajude a melhorar isso”.

*Lucilene Meireles e Wênia Bandeira

Notícias mais lidas