Moeda: Clima: Marés:
Início Ciência

Enxaqueca pode ser reduzida com eletroestimulação e meditação

Terapia apresentou melhorias quanto à incapacidade e ao impacto da cefaleia na realização de atividades da vida diária
Enxaqueca
(Foto: Imagem ilustrativa/UFPB)

Um estudo pioneiro da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) forneceu a primeira evidência terapêutica de que a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) associada à mindfulness (um tipo de meditação) reduz os sintomas de pacientes portadores de enxaqueca crônica.

O intuito foi avaliar os efeitos terapêuticos de uma técnica de neuromodulação chamada Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua – ETCC (realizada por meio de um aparelho eletrônico conectado a eletrodos postos em pontos específicos da cabeça) associada a uma prática de regulação atencional chamada mindfulness (baseada na atenção plena do momento presente com abertura e aceitação para as experiências) nos sintomas de pacientes portadores de enxaqueca crônica.

A pesquisadora responsável pelo estudo, Luana Pimenta, explicou a dinâmica das sessões. “As voluntárias portadoras de enxaqueca crônica foram triadas por uma neurologista especializada e sorteadas em dois grupos: um grupo ativo – o qual recebia a neuroestimulação ativa e mindfulness e um grupo controle – que recebia neuroestimulação simulada (o aparelho emitia um ruído de funcionamento mas não funcionava na prática) e mindfulness”, explicou.

A pesquisa foi realizada entre fevereiro de 2018 e março de 2020 e as sessões foram realizadas com as voluntárias, três vezes por semana, durante um mês.

“Ao longo das quatro semanas, as participantes eram estimuladas a ouvir os áudios de meditação mindfulness em seu domicílio. As participantes também respondiam a questionários avaliativos antes do início do ciclo de sessões e na semana seguinte ao encerramento do mesmo. O resultado final dos questionários, pré e pós-intervenção, foi disponibilizado por escrito como feedback para as voluntárias que participavam de todo o processo”, contou.

Feita a avaliação, constatou-se que o grupo de mindfulness e ETCC ativa apresentou melhorias quanto à incapacidade e ao impacto da cefaleia na realização de atividades da vida diária, bem como um aumento do nível de atenção plena das participantes e o grupo de mindfulness e ETCC simulada também foi beneficiado, porém com efeitos menores.

Com isso, descobriu-se que a associação das técnicas de Eletroestimulação Transcraniana por Corrente Contínua e mindfulness em pacientes portadores de enxaqueca crônica gera melhorias na qualidade de vida dessas pessoas, provando ser uma alternativa eficaz para redução do incômodo e da dor.

Descoberta pode trazer qualidade de vida

“Os resultados deste estudo fornecem a primeira evidência terapêutica da Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua associada à mindfulness com seus consequentes benefícios analgésicos na sintomatologia clínica e na ampliação do nível de atenção plena dos pacientes com enxaqueca crônica. Ela demonstra que há um bom caminho para reduzir a dor e melhorar a vida dos pacientes”, afirmou Luana Pimenta.

O estudo foi publicado na revista Frontiers in Human Neuroscience e está disponível para acesso ao público no site da revista.

Sobre a pesquisa

Intitulado “Effects of Synergism of Mindfulness Practice Associated With Transcranial Direct-Current Stimulation in Chronic Migraine: Pilot, Randomized, Controlled, Double-Blind Clinical Trial”, o estudo é fruto do ensaio clínico do mestrado da pesquisadora Luana Pimenta, orientado pela Profa. Suellen Marinho e pelo Prof. Luiz Carlos Serrano, com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e colaboração de outros pesquisadores da UFPB: Elidiane Medeiros, Joyce Pláine, Jamyson França e Pedro Nascimento.

Também contribuíram para a publicação do artigo os professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Ledycnarf de Holanda e Ana Raquel Lindquist.

Palavras Chave

CiênciaUFPB

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.