Especialista desmistifica noções sobre a imunidade

Dra. Narlize elenca mitos e verdades sobre hábitos que prometem aumentar imunidade

Na busca por uma saúde mais forte, as pessoas cada vez mais têm recorrido a fórmulas que se dizem mágicas. Sucos verdes ajudariam no emagrecimento, enquanto os carboidratos viraram, aos olhos da população, sinônimos de alimentos ruins. E hoje a Covid-19 trouxe uma nova busca: as maneiras de fazer a imunidade aumentar.

Num universo de informações muitas vezes pouco confiáveis, mitos acabam levando as pessoas a adotarem medidas que prometem a alta da imunidade. Por isso, a farmacêutica e Profa. Dra. Narlize Silva Lira Cavalcante, do curso de Farmácia do Unipê, elenca alguns mitos e verdades sobre a imunidade. Confira

– Ingestão de vegetais e frutas, além de peixes como salmão, bacalhau e sardinha ajuda a manter o sistema imunológico ativo? Verdade: os peixes contêm os ácidos graxos Ômega 3 e Ômega 6, que ajudam na regulação das células imunológicas. Já as verduras e frutas têm vitamina C e vitamina E, que auxiliam no bom funcionamento do sistema imunológico;

– Beber dois litros (2 L) de água diariamente mantém as vias aéreas úmidas, protegendo-o de vírus? Mito: não existe comprovação científica a respeito da relação da água com a umidade das nossas mucosas;

– Consumir cebola e alho de forma abundante ajuda a prevenir doenças virais? Verdade: pesquisas revelaram que o alho e a cebola apresentam diversos compostos bioativos, como os polifenois e o selênio, que são poderosos antioxidantes que fortalecem o sistema imunológico;

– Manter as mãos limpas e higienizadas aumentam a imunidade? Mito: a lavagem das mãos ajuda a não contaminação por agentes infecciosos;

– Misturar mel com própolis ajuda a elevar o sistema imunológico? Verdade: pesquisas revelaram que as propriedades encontradas na própolis, que tem uma ação antisséptica e anti-inflamatória, podem sim melhorar o sistema imunológico;

– Tomar vitamina C todos os dias garante uma saúde mais forte? Mito: a menos que você possua deficiência dessa vitamina, sua ingestão diária não o beneficiará, pois o excesso da vitamina é eliminado do organismo pela urina. “Doses elevadas da mesma podem causar efeitos como náuseas e dor de estômago”, pontua Narlize.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.