Por que as pessoas têm dificuldade em entender sobre economia?

Ailza Lima, que é economista, também fala sobre a importância da área

No Brasil, a população encontra bastante dificuldade para entender assuntos da economia. Observar os impactos das medidas econômicas dos setores públicos e privados, por exemplo, não é algo de fácil assimilação. E muitas vezes essa ciência é confundida com as finanças, área que analisa especificamente a gestão do direito (recursos financeiros). Então o que seria a economia e por que é importante que o nosso povo entenda sobre a área?

A economia é a ciência que averigua como gerir os recursos, que na maioria das vezes são escassos, para as nossas infinitas necessidades – podendo ainda ser dividida em escalas micro e macro. “Em um contexto geral, a economia estuda os fatores de produção (maquinários, mão-de-obra, terra, dinheiro, etc.) e sua melhor forma de alocação”, sintetiza a Profa. Ma. Ailza Lima, do curso de Ciências Contábeis do Unipê.

Para a economista, a dificuldade de compreender a área pode ser a falta de base educacional escolar encontrada desde criança. Ailza aponta que, atualmente, há escolas que já falam sobre conceitos econômicos com crianças que estão no jardim da infância, pois a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estabelece o mínimo de educação financeira.

“Quando as escolas abordam o tema Educação Financeira, logo são apresentadas as variáveis econômicas (juros, preço, poupança, investimentos, gastos, inflação, etc.”, apresenta.

Importância de entender economia

Seja enquanto cidadão, empreendedores, investidores e consumidores, a importância de entender a área leva a decisões mais assertivas do que comprar, quando comprar, em que, quanto e quando investir, elenca Ailza.Exemplo: se você entende a importância da diminuição da taxa de juros, já saberá quando os financiamentos para comprar um carro, uma casa ou empréstimos para montar um empreendimento estão com taxas mais favoráveis.

“Se existir uma grande quantidade de exportação de carne e frango, poderá acontecer um aumento desses produtos internamente. Isso ocorre porque a procura aumentou e em alguns casos a produção não é suficiente para atender toda a procura, o que faz o preço desses produtos aumentarem”, explica.

O entendimento ajuda em decisões importantes para muitos empreendedores brasileiros, que focam na produção potencial de sua região, bem como o comércio estrangeiro. “Aqui na Paraíba, de janeiro a julho de 2020, de acordo com o Diário Econômico do Banco do Nordeste, as exportações de calçados corresponderam a 49,7% das exportações paraibanas”, coloca Ailza.

Nesse contexto, ao buscar entender a situação da economia regional,é possível identificar os principais compradores estrangeiros dos produtos paraibanos. “Como exposto pelo Diário Econômico do Banco do Nordeste, 23,8% da produção de calçados de janeiro a julho de 2020 foi para Austrália, 12,1% para França e 8,9% para Bélgica (8,9%). Esses países foram os principais destinos dos calçados produzidos na Paraíba”, completa Ailza.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.