Moeda: Clima: Marés:
Início Notícias

Faltam remédios e Laureano tem crise financeira, diz CRM

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou na manhã desta segunda-feira (1º) o Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, referência no tratamento de câncer na Paraíba. Segundo relatório enviado pelo Conselho, foi constatada a falta de medicamentos orais e intravenosos para quimioterapia, antibióticos, além de insumos como luvas e soro fisiológico. O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, afirmou que o hospital vem enfrentando um sério problema financeiro.

A fiscalização ainda diz que uma das três máquinas da radioterapia está quebrada desde o dia 6 de fevereiro, acumulando cerca de 500 pacientes à espera desse tipo de tratamento no hospital, e que médicos da unidade estão com o pagamento atrasado há seis meses. O CRM-PB ainda informou que fará denúncia ao Ministério Público Federal para que sejam tomadas providências “e o hospital não vá à falência”.

Mais denúncias

De acordo com o que foi verificado pela equipe do CRM-PB, na manhã desta segunda (1º) estavam faltando 17 medicamentos orais quimioterápicos, além de seis tipos de antibióticos.

“Mais de 70 pacientes com câncer de próstata estão na lista de espera por algum desses medicamentos. Também faltam os cateteres das bombas de infusão usadas na quimioterapia, o que prejudica o tratamento. No centro cirúrgico, médicos têm que administrar o uso de antibióticos após os procedimentos, pois é comum faltarem esses medicamentos, além de luvas e soro fisiológico. Funcionários da farmácia disseram que há mais de seis meses enfrentam o problema da falta de estoque de remédios”, disse o CRM.

“A rotina dos pacientes que irão iniciar o tratamento tem sido difícil. Ele faz a consulta com o oncologista, é encaminhado para a quimioterapia para iniciar a medicação, mas chegando ao setor deixa um telefone de contato para que um funcionário do hospital lhe telefone para avisar que chegou o medicamento. Verificamos que vários pacientes estão passando por isso”, disse o médico fiscal do CRM-PB, Marnio Solermann.

Os pacientes que dependem da radioterapia também estão enfrentando dificuldades no tratamento, segundo o relatório. Há quase dois meses um dos equipamentos sofreu um curto circuito por conta das fortes chuvas e, desde então, está sem funcionar. Já foram gastos mais de R$160 mil e ainda não há previsão de quando a máquina irá voltar a funcionar.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, afirma que o hospital vem enfrentando um sério problema financeiro, que precisa ser sanado para que não comprometa ainda mais a saúde dos pacientes. “O paciente oncológico não pode esperar. É preciso que se faça algo com urgência, caso contrário a falência do hospital será inevitável”, disse.

De acordo com a direção do hospital, 92% dos pacientes atendidos no Napoleão Laureano são do Sistema Único de Saúde (SUS), que está com uma tabela de valores de procedimentos congelada há cinco anos. Mais de 70% dos pacientes com câncer no Estado são tratados no Laureano e, em alguns casos, como pediatria e hematologia, esse número chega quase a 100%. “Este é um hospital importantíssimo para o Estado, não pode ficar dependendo apenas de doações e chegar a este ponto que chegou”, afirmou o diretor de fiscalização.

Napoleão não foi notificado

O Portal Correio procurou o Hospital Napoleão Laureano para se posicionar acerca do relatório, mas o diretor-presidente da fundação que mantém o hospital, Carneiro Arnaud, informou que a unidade não foi notificada e não recebeu o parecer.

“Nós estranhamos essa atitude do CRM-PB, porque não recebemos nenhuma denúncia e nenhum relatório sobre o que eles encontraram de errado. Como podemos nos posicionar?”, indagou.

Comentários

Debora Debora disse:

Será que não tem empresários que possa fazer doações dessas luvas , desses materiais. Pelo amor de Deus

Nyedja silva disse:

Tudo que foi falado acima relatado pelo CRM é verdadr. Tenho.uma ria que fica em casa sentindo dores aguardando os medicamentos para pulsoterapia e infelizmente demora muito. Quando ela vai marcar exista uma lista imensa…. triste. Ministério público precisa intervir.

Giordania disse:

Infelizmente é verdade tudo que foi falado, minha mãe esperou por meses a ligação para começar o tratamento, quando resolveram ligar ela já tinha falecido.

Alex Novais disse:

Infelizmente na minha opinião eu não esperava essa situação chegar a essa situação, e quem sofre mais são os pacientes. Deus tenha de misericórdia

Albany disse:

Tá um absurdo mesmo , principalmente na pediatria e nos demais setores do hospital ,cadê o diretor que não tomar providências e nem dá nenhuma satisfação aos pacientes em tratamento ,e tem mais essa UTI PEDIÁTRICA , que as crianças que entram lá não sai com vida ,os profissionais fazem de tudo ,perdi minha filha recentemente nessa U.T.I

Adna Magalhaes De Azevedo disse:

Eu e minha irmã somos pacientes do Laureano
Tudo o que está escrito é verdade.
Tenho um procedimento cirúrgico para fazer, estou aguardando a chegada do material.
Já estive em consulta que não tinha material para curativos nem mesmo luvas.
A situação cada dia vem piorando.
É necessário sim apelar para que as autoridades faça alguma coisa urgente

Denise Oliveira Porto disse:

Rafael, reitero cada palavra sua acima! Gravíssima a situação!

Rafael disse:

Quando o Laureano tiver transparência em suas contas, sobretudo na folha de pagamento de todos os colaboradores, terei o sentimento de que realmente precisa ser ajudado.

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.