Moeda: Clima: Marés:
Início Policial

Familiares contestam versão de suspeito e pedem justiça pela morte de ciclista na Grande João Pessoa

"Eu quero justiça. Eu sei que a justiça de Deus será feita, mas quero que aqui na terra também seja", reivindicou a irmã da vítima.
Atropelado, Ciclista
Atropelamento aconteceu entre Santa Rita e Cruz do Espírito Santo (Foto: Reprodução/TV Correio)

Familiares do ciclista João Quirino Neto, que morreu vítima de atropelamento na PB-004 no último domingo (24), se reuniram, nesta sexta-feira (29), para contestar a versão apresentada à Polícia Civil pelo suspeito do crime de trânsito, Severino do Ramo. Os parentes de João Quirino Neto receberam a TV Correio na casa onde ele morava, em Bayeux, Região Metropolitana de João Pessoa.

De acordo com o delegado Alexandre Fernandes, o motorista investigado disse que não havia acostamento no trecho do atropelamento e que João teria puxado a bicicleta para o meio da pista, causando o acidente. Em seguida, ele negou ter sido o autor direto das lesões sofridas por outros três ciclistas e disse que acredita que foi o próprio João que bateu nos colegas.

“Jamais meu irmão colocaria a vida em risco. Ele está mentindo. Esse homem é muito frio”, reclamou Claudia Kelly Quirino, irmã da vítima.

Ainda conforme o delegado Alexandre Fernandes, Severino do Ramo não informou no depoimento se havia bebido antes do atropelamento. Ele se apresentou à polícia na segunda-feira (25), dia seguinte ao fato e, na terça (26), passou por audiência de custódia e foi liberado.

Claudia Kelly Quirino disse que a família recebeu a notícia da soltura do suspeito com desespero. “Eu quero justiça. Eu sei que a justiça de Deus será feita, mas quero que aqui na terra também seja”, reivindicou a irmã da vítima.

Apesar de não haver confissão por parte do motorista, a TV Correio apurou que Severino do Ramo teria passado por um bar minutos antes do atropelamento. Uma testemunha informou que ele passou poucos minutos no estabelecimento, mas que já teria chegado lá apresentando sinais de embriaguez.

O suspeito não tem histórico de infrações de trânsito, mas, mesmo assim, a carteira de habilitação dele foi apreendida.

O Portal Correio não conseguiu contato com a defesa de Severino do Ramo, mas mantém o espaço aberto para posicionamento do suspeito. O contato com a redação pode ser feito pelo e-mail [email protected].

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.