Moeda: Clima: Marés:
Início Política

Ferramenta do TCE tem ajudado municípios, diz presidente da Famup

O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, que também é prefeito de Sobrado, destacou a importância do trabalho realizado pela Corte de Contas e da criação de ferramentas que buscam melhorar a situação contábil das prefeituras paraibanas.

Leia também:

Segundo ele, os prefeitos paraibanos estão sendo auditados praticamente todos os dias. “Esse sistema de ver a gestão em tempo real tem proporcionado um acompanhamento mais apurado e com resultados, porque também vem tendo um caráter pedagógico e evitado erros que antes eram cometidos na maioria das gestões”, comentou.

De acordo com George Coelho, com essa nova metodologia de trabalho, 85% das contas dos prefeitos vêm sendo aprovadas. “Os prefeitos são alertados de eventuais falhas e inconsistências no momento da realização da despesa. E esse acompanhamento leva os gestores a cometerem menos erros, além de garantir maior agilidade na prestação de contas e na aplicação correta dos recursos públicos”, avaliou.

George Coelho afirmou ser essencial para esse resultado o trabalho desenvolvido pelo Tribunal e garantiu que os prefeitos estão cada vez mais qualificados e primando pela melhoria das administrações.

De acordo com o TCE-PB, em 2017 e 2018, o percentual de decisões contrárias reduziu para apenas 8%, diferente dos quase 23% verificados em 2016. O Processo de Acompanhamento da Gestão trouxe para o Tribunal de Contas do Estado mais agilidade nas inspeções e nos julgamentos das contas públicas, e permitiu aos gestores melhoria na qualidade das prestações de contas.

Para o dirigente, o caráter preventivo dos alertas emitidos pelo TCE-PB nas administrações municipais no Estado ajudou a garantir o aumento do número de contas aprovadas.

Segundo ele, os gestores estão tendo condições de corrigir falhas ao ser orientado, previamente, sobre o andamento de suas despesas à frente da Prefeitura e não só ao final de cada exercício, como ocorria no passado.

“Antes, não se tinha a menor noção e as prestações de contas, cheias de eventuais irregularidades, com falhas e até erros formais, só iam para a análise do TCE-PB, na maioria das vezes, após o termino do mandato de alguns gestores, Agora, essa análise preliminar já é feita dentro da própria gestão, dando oportunidade para que os gestores tomem todas as providências em tempo hábil, e não terão que esperar o término do mandato para saber se acertaram ou não”, enfatizou George Coelho.

*Texto do Jornal CORREIO 

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.