Início Notícias

Grande JP chega a 93% de ocupação em leitos de UTI

A Região Metropolitana de João Pessoa (RMJP) chegou nessa sexta-feira (22) a 93% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os números foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os dados também são alarmantes no interior do estado, onde, em Campina Grande, o número chegou a 75%, e em toda a Paraíba, 81%.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, disse à TV Correio neste sábado (23) que essa situação era prevista porque grande parte da população continua desrespeitando o distanciamento social. A taxa de isolamento no estado e nas principais cidades fica entre 40% e 50%, quando deveria ser de 70%, conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ele reforçou a necessidade de se respeitar o isolamento, caso contrário as confirmações de coronavírus continuarão subindo em todo o estado. A SES está contabilizando cerca de 1 mil casos confirmados de Covid-19 a cada 48 horas. Cerca de 400 mil testes foram distribuídos em todo o estado.

Na quinta (21), o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público da Paraíba (MPPB) lançaram uma carta aberta de alerta à população paraibana sobre o risco de colapso na Saúde por causa da pandemia de coronavírus.

Nessa sexta (22), representantes dos Ministérios Públicos, além dos hospitais da rede privada e o Trauma de Campina Grande, bem como das secretarias de Estado da Saúde (SES) e Municipal de Saúde de Campina Grande (SMS-CG) e do Conselho Regional de Medicina (CRM), divulgaram a segunda carta aberta à população. O foco do documento são os leitos disponíveis para a segunda macrorregião de saúde da Paraíba, devido à pandemia do novo coronavírus.

Durante uma reunião com representantes dos órgãos, na quinta-feira (21), foi verificado que a rede privada de Campina Grande está praticamente com leitos esgotados para pacientes com Covid-19, estando na iminência de colapsar. O colapso da rede pública também está perto de acontecer, segundo alertam os Ministérios Públicos, que reforçam a importância do isolamento social rigoroso, na carta aberta à população. Veja aqui a carta.

Além da elaboração desse documento, durante a reunião ficou decidido que os órgãos farão encontros semanais, a fim de verificar quais hospitais serão retaguarda, bem como para trocar informações sobre protocolos atualizados e verificar a situação dos leitos das redes de saúde, que atendem não apenas Campina Grande, mas vários municípios da região.

Saiba mais sobre o novo coronavírus na cobertura do Portal Correio:

Comentários

  • Rivaldo disse:

    Secretário, estamos chegando ao colapso do sistema de saúde não só aqui como em outras regiões e países que instituiram o isolamento hotizontal prolongado. Não adianta oferecer um tratamento com baixa adesão. Ele não vai funcionar caso não não tenha adesão voluntária do paciente .Esse é um princípio básico da medicina. Política não interfere nisso. A curva não achatou, o colapso chegou em diversas regiões e a economia quebrou . Este tratamento proposto não funcionou e estamos demorando ainda mais para mudar de estrategia. Quando um time está perdendo de 3×0 no meio de segundo tempo ele muda radicalmente de estrategia ou vai continuar perdendo feio.

  • Célia disse:

    Quantos leitos tem? Vcs estão dando a notícia errada.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.