Mantida prisão de iraquiano detido em JP suspeito de terrorismo

Feras Ali Haussan, junto com Saleh Abdulrahan Mallberaibi e o brasileiro Sandro Adriano, são suspeitos de falsidade ideológica

190
COMPARTILHE

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) negou dois habeas corpus, com pedido de liminar, a Feras Ali Haussan, suspeito de tentar tirar um documento de cidadania brasileira utilizando documentos falsos. Feras Ali Haussan também é apontado como suspeito de ligação com o terrorismo.

Feras Ali Haussan, junto com Saleh Abdulrahan Mallberaibi e o brasileiro Sandro Adriano, são suspeitos de falsidade ideológica. Além disso, os estrangeiros também são apontados como suspeitos de ligações com grupos extremistas do Oriente Médio, que promovem ações terroristas.

No processo, o advogado de Feras Ali afirmou que ele estaria sofrendo constrangimento ilegal, uma vez que a decisão que converteu a prisão em flagrante em preventiva não possui os requisitos previstos no Código de Processo Penal.

“A juíza apontou de forma clara os fundamentos que justificam a decretação da preventiva do paciente, razão pela qual, ao meu ver, não há que se falar em ausência de fundamentação, alegado pelo paciente”, afirmou o desembargador ao negar o habeas corpus.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas