Maré alta causa novo deslizamento na barreira do Cabo Branco

Área afetada fica próxima à Praça de Iemanjá, segundo Noé Estrela, coordenador da Defesa Civil municipal

266
COMPARTILHE

Um trecho da barreira do Cabo Branco deslizou novamente nesta sexta-feira (15), em João Pessoa, devido aos impactos da maré alta registrados nos últimos dias no Litoral da Paraíba. Ninguém ficou ferido.

A área afetada fica próxima à Praça de Iemanjá e continua interditada, segundo Noé Estrela, coordenador da Defesa Civil municipal. Ao Portal Correio, ele confirmou que o projeto de estudo já está finalizado e o projeto executivo vai ser licitado em breve.

Maré alta, chuvas e ventos fortes no estado

No último dia 12, o estado registrou ondas fortes, ventanias e chuvas com névoa intensa. A Agência Estadual de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) classificou o alerta como “normal”.

No sábado (9), também foi registrado ressaca do mar, que causou destruição em Jacumã, no Conde, na Grande João Pessoa. A maré subiu e as ondas fortes derrubaram três barracas da praia. Em Guarabira, a 100 km de João Pessoa, uma névoa intensa acompanhada de chuva foi registrada nesse domingo (10).

Início das obras na barreira do Cabo Branco

A Prefeitura de João Pessoa fez a primeira reunião com a empresa Eicomnor Engenharia, que vai fazer o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental da Barreira do Cabo Branco (EIA/RIMA). O local é um dos principais pontos turísticos da cidade, que vem sofrendo com a intensa erosão nos últimos 15 anos e ganhou em 2015 um megaprojeto para evitar a degradação, mas desde então nada tem sido feito.

A secretária de Planejamento, Daniella Bandeira, explicou que a empresa tem um prazo de 120 dias para entregar o produto final. “Já iniciamos os trabalhos de imediato, pois entendemos a importância e a urgência dessa obra. Com o relatório pronto, iremos apresentar a sociedade e encaminhar à Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), para que ela possa fazer suas análises e em seguida dar continuidade ao projeto”, explicou.

O encontro contou com a presença de engenheiros da Secretaria de Planejamento (Seplan), Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e Secretaria de Meio Ambiente (Semam) da Prefeitura. Devido a erosão, a região da Barreira do Cabo Branco encontra-se interditada.

O primeiro projeto completo de proteção, revitalização e contenção da erosão da falésia do Cabo Branco foi apresentado em 11 de março de 2015, pela Prefeitura de João Pessoa.

Naquele dia, foi mostrado um vídeo com imagens em 3D com detalhes da ideia orçada em R$ 70 milhões. Veja acima.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas