Início Notícias

Moradoras querem saída de projeto com deficientes de praia

A vereadora Helena Holanda (PP), afirmou, em entrevista à TV Correio, que um grupo de moradoras do bairro do Cabo Branco, na Zona Leste da Capital, a procurou na Câmara Municipal de João Pessoa na manhã dessa quarta-feira (21) para pedir a saída do bairro do projeto ‘Praia Acessível’, que promove a inclusão social de pessoas com algum tipo de deficiência.

O projeto, que ocorre na Orla do Cabo Branco, nas proximidades da Fundação Casa de José Américo, é encabeçado pela parlamentar e, todos os sábados, por volta das 8h, reúne cerca de 100 pessoas com deficiência que, através da ação, têm a oportunidade de interagir com outras pessoas, dançar, praticar esportes e entrar em contato com a natureza.

As moradoras que entraram em contato com a vereadora, segundo ela, teriam dito que a presença dos deficientes tornaria o local “feio” e ainda teriam alegado que a iniciativa não deveria ocorrer em um local com histórico de moradores “ilustres”.

Helena Holanda negou o fim da realização do projeto e, ao invés disso, diz que agora pretende ampliá-lo. Assista acima.

Comentários

  • Izabel Cristina Abreu disse:

    Parece que essas pessoas não tem nada o fazer, só tentar prejudicar os outros. Lamentável.

  • Lourdes Silva Sena disse:

    Olá, eu nasci na Paraíba, sai muito cedo desse lugar e vim para sp para trabalhar e qdo vejo notícias como essas, eu me envergonho de ser paraibana. Tem pessoas boas, porém fui vítimas da maldade de pessoas como essa, apenas por que votei em quem eu queria. Pensei em voltar e mostrar para essas pessoas como é ser gente, mas, a maioria já morreram e ñ levaram nada do que tinham. São más, invejosas e não conhecem Deus de verdade. São verdadeiros fariseus hipócritas, mesmo com idade avançada, ñ aprenderam nada com a vida e precisam que alguém as acordem. Que pena que eu não estou aí!

  • Elisabete disse:

    MUITO IMPORTANTE
    DIVULGAR NOMES DAS SRAS. CONSERVADORAS… Onde está o requerimento com essa absurda solicitação? Cadê as ditas senhoras ?

  • Itamar disse:

    Verdade. Esse pessoal sem noção.

  • Mauro Luiz disse:

    Realmente eu concordo com a colocação acima, moro nas imediações do local, nenhuma pessoa acredito q tenha feito essa manifestação. Vereadora mostre pelo menos o nome de uma pessoa. Faz mais isso não. É feio inventar mentira para ganhar mídia.

    • Letícia disse:

      Estou inclinada a concordar também, porque a cada matéria publicada a história é contada de modo diferente, as alegações/motivos dados pelas supostas senhoras variam. Será que o “fato” realmente ocorreu? Por exemplo, já li que as senhoras estariam reclamando da perturbação e que a montagem das rampas estaria comprometendo o local. Como podemos avaliar uma situação sem conhecer ambos os lados da questão? Essas reportagens deixam muito a desejar…

  • Itamar disse:

    Boa noite. ISSO DA VEREADORA INVENTAR ESSA CONVERSA Q MORADORES RECLAMARAM, É PURA MENTIRA. A VEREADORA INVENTOU DESCARADAMENTE COMO PROMOÇÁO. MANDE ELA APONTAR UMA PESSOA Q ELA DIZ Q RECLAMOU. DUVIDO, PURA MENTIRA. PROVE VEREADORA?

  • igor disse:

    olha fernandes todos os carros de vocês ILUSTRES como as idosas falaram deixem seus carros fora das garagens na sexta feira a noite
    tem muitos estacionamentos a beira da pista ou caso contrário, se mudem para outro local onde moram PESSOAS ILÙSTRES.

  • joel farias de freitas disse:

    DEUS JULGUE ESTA CAUSA POR MIM, O SENHOR SABE TRATAR COM PESSOAS DESSA NATUREZA
    CHAMO ISSO DE UM COLAPSO ESPIRITUAL ONDE
    VAMOS PARAR COM PESSOAS DESSA NATUREZA NO MUNDO

  • Elaine disse:

    Tem que solicitar uma avaliação neurológica ou psiquiátrica dessas idosas, será que não é algum tipo de demência?

  • Ricardo Silva disse:

    Bando de velhas desocupadas, vão procurar o que fazer. Até onde chega a capacidade do ser humano,se é que pode chamar estas criaturas de humano. Aplausos para senhora vereadora,negar o pedido descabido dessas velhas idiotas.

  • Léia disse:

    Mau comidas , dá nisso aí, ordinárias ,energumenas

  • Lorenna disse:

    Parabéns a posição da vereadora!
    Que absurdo infelizmente existe pessoas assim no mundo.
    Graças a Deus que já são pessoas de idade que não podem reproduzirem o mundo agradece! Menos pessoas podres de espírito desse jeito no mundo!!!! Deus me livre.

  • Bruno Ramalho disse:

    Uma tremenda falta de amor ao próximo, de respeito mútuo e acima de tudo caráter. Espero que essas idosas, consigam melhorar-se espiritualmente.

  • Veronica disse:

    Esta velharia tem que se ligar ,que só em sua casa ,elas têm o direito de opinar quem frequenta ou não. Se não gostar ,mude de praia ,bairro,cidade ,estado ,país e até se encontrar o caminho ,vão pro inferno. A praia épublica . Se não gosta de ve- lhos ,se tranquem em casa . Que agradecemos .

  • Severino Fernandes de Lima disse:

    Só acreditei porque foi ao vivo, essas pessoas são os fariseus da vida. Cuidado a Mão Divina é pesada, depois diz meu Deus o que foi que fiz, tenho pena dessa gente que não sabem o que diz.

  • Alciene disse:

    O q tira a beleza da praia é uma atitude ridícula dessa isso é pq essas pessoas n tem a mesma alegria d viver q as pessoas c deficiência tem pois o dinheiro n compra e isso incomoda pessoas mal amadas

  • Luciano Chaves disse:

    Vão procurar um asilo bando de velhas desocupadas que é o melhor que vocês fazem.

  • vanessa disse:

    Hahahah é muita falta do que fazer dessas ” acomodadas”. Um projeto desse tem que ser copiado por muitas Prefeituras. Sugiro essas sonhoras lavar uma trouxa de roupa.

  • Hemerson Viegas disse:

    Aos pais e/ou responsáveis que desconheçam a legislação uma informação:

    Artigo 88 da Lei nº 13.146 de 06 de Julho de 2015(Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência)

    Art. 88. Praticar, induzir ou incitar discriminação de pessoa em razão de sua deficiência:

    Pena – reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa.

    § 1o Aumenta-se a pena em 1/3 (um terço) se a vítima encontrar-se sob cuidado e responsabilidade do agente.

    § 2o Se qualquer dos crimes previstos no caput deste artigo é cometido por intermédio de meios de comunicação social ou de publicação de qualquer natureza:

    Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.

    § 3o Na hipótese do § 2o deste artigo, o juiz poderá determinar, ouvido o Ministério Público ou a pedido deste, ainda antes do inquérito policial, sob pena de desobediência:

    I – recolhimento ou busca e apreensão dos exemplares do material discriminatório;

    II – interdição das respectivas mensagens ou páginas de informação na internet.

    § 4o Na hipótese do § 2o deste artigo, constitui efeito da condenação, após o trânsito em julgado da decisão, a destruição do material apreendido”

    Fazer uma relação desses moradores que estão reclamando e processa-los baseando-se nesse artigo…Tomarem uma lição e quem sabe, aprenderem a terem respeito!Tsc, tsc, tsc…

  • Joselito pereira disse:

    Como dizia o ilustre de verdade cazuza ” a burguesia fede ” ou melhor são podres…

  • Salima disse:

    A praia é espaço de todos sem distinção. Uma pena ecustirem pessoas com almas tão feias e negras.
    O deficiente tem todo o direito ao lazer. Parabéns pela iniciativa dessa vereadora.

  • Severino do Ramo disse:

    Parabéns vereadora, não sou deficiente, CONTE COM 10 VOTOS DE TODA MINHA FAMÍLIA.

  • carlos soares ferreira disse:

    querem mandar ate na praia.

  • Fernandes disse:

    Eu moro no Cabo Branco e não me incomodo com esse projeto, é uma ação agregadora que ocorre apenas numa área específica da praia e da calçada.

    Lamento sim por outros eventos, sobretudo corridas, que fecham calçadas e as duas faixas da avenida irregularmente, retirando o direito de ir e vir dos moradores e turistas, utilizam palcos e carros de som a partir das 5h da manhã, e muitas vezes ainda poluem a praia e as ruas com centenas de copos plásticos jogados pelos participantes. Esses sim cometem crimes e sujeitam a riscos outros cidadãos. O lazer de alguns não pode excluir o direito de muitos. Nos dias dessas corridas, moradores não podem sair de casa de carro nem receber seus familiares. Num caso de urgência, todos estarão presos.

  • Leonardo disse:

    Moradores ilustres também vão ser falecidos ilustres ? Não, somente alguns, que se tornaram ilustres pelo que fizeram. Não se auto proclamaram, foram reconhecidos.

  • Penha Silva disse:

    Todo cidadão tem direito de se locomover livremente nas ruas, nas praças, nos lugares públicos, sem temor de serem privados de locomoção”

  • Bruno Barcelos disse:

    Vergonha alheia por esses moradores. Ricos de cultura? Pobres de espírito essa vereadora merece cada voto.

  • Leonardo disse:

    Sou do DF e conheci esse projeto em Janeiro desse ano! Fomos com um amigo cadeirante e participamos dum momento no projeto!

    ADORAMOS…e foi marcante para todos que conheceram.

    Triste… principalmente vergonhoso…que SERES HUMANOS ainda hoje se comportam dessa forma!

  • Emanoel Polari disse:

    Então vamos colocar na praia apenas jovens beldades… Vamos remover os deficientes, os obesos, os idosos, os cachorros e os cavalos que moram na redondeza.

  • Fernando Almeida disse:

    Até onde sei…..a praia é um espaço público, portanto todos os seres humanos podem e devem frequenta-lo quando assim o quiserem.

  • gilberto silva disse:

    São os donos da praia.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.