Moeda: Clima: Marés:
Início Policial

Motorista que matou dois atropelados em João Pessoa estava a 140 km/h, diz laudo

Com o resultado, a polícia investiga agora se o motorista teria mentido em depoimento, por ter afirmado que estava dentro do limite de velocidade permitido
Foto: Reprodução/TV Correio

A perícia feita pela Polícia Civil na investigação do atropelamento que levou à morte de dois homens, em João Pessoa, em julho deste ano, aponta que o motorista conduzia o carro a 140 km/h. As informações foram apuradas pela TV Correio e divulgadas em primeira mão nesta terça-feira (2) no Correio Verdade.

Com o resultado, a polícia investiga agora se o motorista teria mentido em depoimento, por ter afirmado que estava dentro do limite de velocidade permitido para o trecho por onde seguia, que é de 80 km/h.

Inácio Rodrigues Leandro, de 47 anos, que era servidor da Prefeitura de João Pessoa, e Erivaldo da Silva, de 38 anos, foram atropelados enquanto atravessavam um trecho da BR-101 no bairro Costa e Silva, na Zona Sul da Capital, na madrugada de 9 de julho deste ano. As vítimas voltavam para casa depois de uma reunião.

Motorista
Foto: Reprodução/TV Correio

O motorista responsável pelo atropelamento fugiu, mas a placa do carro foi achada no local, o que ajudou a polícia a localizá-lo.

Dois dias depois, em 11 de julho, o condutor do veículo se apresentou à polícia, acompanhado de um advogado. Ele é programador, tem 29 anos, trabalha em uma empresa na cidade de Goiana, em Pernmabuco, e voltava para a residência onde mora em Bayeux, na Grande João Pessoa, depois de deixar uma colega de trabalho em casa após o expediente.

À polícia, ele disse que estava escuro e chovia, o que o teria impedido de ver os dois homens atravessando a pista. Falou ainda que fugiu do local porque estava com medo de sofrer represálias e negou que estivesse bêbado.

O veículo era alugado, ficou bastante destruído, mas mesmo assim foi devolvido normalmente para a locadora, onde o programador alugou outro carro.

O caso agora deverá ser repassado para o Ministério Público da Paraíba (MPPB) para formular uma denúncia a ser encaminhada à Justiça, que vai decidir sobre as acusações e penalidades.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.