Imagem Ilustrativa - Reprodução

Paraíba sedia debate para implantação do RenovaBio

Qualidade do etanol, principal elemento no programa que é considerado marco legal dos biocombustíveis, entra em debate nesta quinta (30), em JP

0
COMPARTILHE

*Érico Fabres, do Correio da Paraíba

O Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool da Paraíba (Sindalcool-PB) realiza nesta quinta-feira (30), a partir das 9h30, na Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), o debate “Qualidade do Etanol: encontro com a ANP”. Veja programação abaixo.

Buscando cumprir os compromissos do Acordo de Paris, que estabelece a adoção de medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, o Brasil deve transformar em Lei no início de 2018 o RenovaBio, projeto que visa um aumento na utilização dos biocombustíveis. Para que as metas sejam cumpridas até 2030, o etanol será um dos principais personagens, já que a participação dele na matriz de combustíveis, considerando-se anidro e hidratado, deverá ser ampliada até 2030.

O encontro, que terá a participação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) através da Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos, debaterá também o grande volume de importações de etanol anidro neste ano, o que colocou o produtor local em desvantagem. A Paraíba possui oito usinas que garantem o sustento de 44 mil pessoas, que tiveram seus empregos ameaçados em virtude da prática. O RenovaBio renovou também as esperanças do setor, já que, com uma maior participação do produto no mercado, haverá uma concorrência mais justa com o principal combustível fóssil utilizado, a gasolina, cuja importação também aumentou 77% neste ano.

O evento se destina aos gerentes industriais, técnicos de laboratórios de qualidade das usinas produtoras de etanol, químicos industriais, engenheiros químicos, revendedores de combustíveis, técnicos de distribuidoras de combustíveis, técnicos de empresas certificadoras de qualidade, membros de órgãos públicos e autoridades portuárias, entre outros.

A ANP irá apresentar as empresas inspetoras da qualidade e as suas responsabilidades e tratar de outros aspectos da qualidade, assim como atualizar os participantes a respeito do RenovaBio, já que é apoiadora do projeto.

O projeto prevê inclusão de bônus sobre a Nota de Eficiência Energético Ambiental do produtor de biocombustíveis cuja certificação comprove a emissão negativa de gases causadores do efeito estufa.

Compromisso de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa:

  • Até 2025 – 37%
  • Até 2030 – 43%

O RenovaBio é também uma segunda tentativa de tirar o Brasil da dependência da gasolina. Na década de 1970, em meio à crise do petróleo, o País deu um salto de inovação lançando o Programa Nacional do Álcool (Proálcool), que tinha a ambiciosa meta de substituir a frota de veículos movidos à gasolina por álcool. Graças a ele, foi aumentada a adição de etanol anidro à gasolina, o que gerou uma redução na emissão de gases e estimulou o crescimento da produção nacional de carros flex.

Adição de etanol anidro à gasolina:

  • Atualmente: 27%

Na última quarta-feira (22), o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 299 votos a 9, o regime de urgência para o PL 9086/17, que foi apresentado pelo deputado Evandro Gussi (PV-SP). Ontem, em votação simbólica, o projeto aprovou novamente o texto principal, que agora será apreciado no Senado.

Programação 

Local: Asplan (Rua Rodrigues de Aquino, 267 – Centro, João Pessoa – PB)

9h30: Credenciamento

10h: Abertura – Edmundo Coelho Barbosa – Sindalcool

10h15: O Etanol nacional ou importado e a Qualidade – Ednéia Caliman – Centro de Pesquisas e Análises Tecnológicas – ANP

11h: Renovabio – As contribuições da ANP – Pietro Mendes – Superintendente Adjunto de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos – ANP

12h: Conclusões – Edmundo Coelho Barbosa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas