Moeda: Clima: Marés:
Início Notícias

Primeira-dama de Cabedelo recebeu R$ 233 mil da Câmara

Presa pela Polícia Federal na Operação Xeque-Mate, semana passada, a vereadora e primeira-dama de Cabedelo Jacqueline Monteiro França recebeu em 2017 nada mais nada menos que R$ 233 mil da Câmara Municipal. Mulher do prefeito Leto Viana, também preso na mesma operação, Jacqueline integra o quadro de servidores efetivos da Câmara. Exerce a função de auxiliar legislativa com a nomenclatura PL-NB-3.1 e tem salário de R$ 10.238,05.

Dos 17 servidores efetivos da Câmara, Jacqueline em a mais bem paga. Os salários dos demais não chegam a R$ 4 mil. Quatro recebem entre R$ 1.978,46 e R$ 2.654,13. Dois recebem R$ 2.301,42. Outros cinco ganham entre R$ 1.218,10 a R$ 1.983,85. Os outros cinco ganham entre R$ 1.855,65 a R$ 3.997,84. Jacqueline pode receber como vereadora e como servidora comissionada, desde que tenha disponibilidade de tempo para se dedicar à função.

As informações sobre os salários da vereadora presa estão disponíveis no sistema Sagres Online do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Mas o mais imoral é o fato de a Câmara ter prestado contas de seus gastos ao TCE utilizando dois números de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Um tem o número 08584179000183. O outro tem o número 09220922000189. De acordo com o conselheiro do TCE, Nominando Diniz, uma empresa ou órgão público só pode ter uma inscrição de CNPJ. Segundo ele, se a Câmara de Cabedelo usa dois, está praticando fraude.

Pelo que foi verificado no Sagres, tudo indica que se trata de uma fraude mesmo. Pelo CNPJ 09220922000189, que, segundo a Receita federal, é mesmo da Câmara de Cabedelo, são pagos os salários dos servidores efetivos. Neste CNPJ aparece o nome da Câmara municipal de Cabedelo, situada na Rua João Machado, 29, Cep. 58.310-000.

A fraude por estar no CNPJ 08584179000183 usado para pagamento da folha de servidores comissionados. Segundo a Receita federal, este CNPJ está registrado no nome da Câmara Municipal de Araçagi, com nome de fantasia Casa João pessoa de brito, localizada na Rua Olívio Maroja, S/N, Cep. 58.270-000, Centro, Araçagi. Somente no ano passado, usando o CNPJ da Câmara de Araçagi, a Câmara de Cabedelo efetuou pagamentos a servidores comissionados no valor total de R$ 5,21 milhões. Pelo CNPJ próprio, a Câmara de Cabedelo efetuou pagamentos que R$ 1,48 milhão aos servidores efetivos, sendo, do total, R$ 133 mil somente para a mulher do prefeito Leto Viana.

*Adelson Barbosa dos Santos, do Jornal Correio da Paraíba

Comentários

Guilherme Figueiredo de albuquerque disse:

A primeira dama estar solta próximos ,15 dias solta o leto . Kkkkkk os babacas falando bobeira

Paulo Guimarães disse:

O povo de cabedelo merece.
Vende os votos, depois vem chorar o que?
Este grupo politico está destruindo cabedelo.
Lembram do shopping intermares?

anonimo disse:

amigos, vocês não viram nada, fui candidato a vereador na cidade e a tribunal eleitoral não fazia nada contra o partido deles… nenhuma medida… era escandalosa a cara de pau…. por mim apodrece na cadeia…mas estamos no brasil…com “b” minusculo!

Walmir. disse:

DEVE SER POR ISSO, QUE A JUSTIÇA DE CABEDELO NÃO DÁ A SENTENÇA DE UM PROCESSO DE 4 ANOS, CONTRA A PREFEITURA DE BCABEDELO, SE ARRASTANDO E NADA DE SENTENÇA!!. UMA VERGOMHAAAAAAAAAAAAAAAAA!!.

Veronica Lima FERREIRA disse:

Será q esse povo possui um pingo de vergonha? Heim d. Jackeline ?

Anônimo disse:

Perde a liberdade e o sono, apenas por um punhado de dinheiro! Bem-vindos à futilidade humana!

Guilherme Figueiredo de albuquerque disse:

Porque prenderam alguns laranja e mão o dono do shopping Manaíra? Porque Vitor Hugo assumiu se no fantástico ele recebeu envelope? Kkkkk. Não posso entender. Alguém pode explicar?

Guilherme Figueiredo de albuquerque disse:

Aqueles envelopes eram entregues por ordem de quem? Só pode ser do prefeito. Se a moça se recusa de entregar ela perde o emprego .todo mundo sabe. Quem tem imóveis conta bancária gorda todo mundo sabe. Agora não vamos prejudicar os laranja para encobrir os grandões poderoso

Paulo Montini disse:

O tribunal de contas do município tambem tem uma parcela de culpa por nao ter fiscalizado a tempo desde o inicio dessas manobras, afinal os membros recebem muito bem para isso é não o fazem, nem os de cabelo como também os dos 220 municípios da Paraíba.

Paulo Montini disse:

A receita Federal poderia ter evitado esse golpe caso usasse os dados da mesma forma que usa para nos cobrar quando devemos impostos, por que não cruzou os dados dos cnpj adulterados?

oscar disse:

vergonha!!!, ainda tem mais gente…. MP continue investigando…

José disse:

O prefeito tem de ser cassado. Vereadores de Cabedelo não façam como os vagabundos vereadores de Bayeux, não, que absolveram Berg Lima. O povo tem que ficar atento.

Felipe disse:

pior de tudo é que eles continuam comandando tudo la. colocaram um laranja, que por sinal também está envolvido, e o esquema permanece vivo.

robertte disse:

Senhor leto Viana , onde esta o seu descurso de legalidade .que tando falava .!!!.. ladrao e corrupto , tirando dinheiro de servidores efetivo que trabalha honestamente .Desejo ao senhor que pague o que roubou ….

Augusto cezar disse:

Será que as contas da gestão DE lETO foram aprovadas pelo TCE?

Augusto cezar disse:

Roubando dinheiro do povo, dinheiro que poderia ser destinado para o bem estar do povo, mas o dinheiro está destinado a meia dúzia de bandidos travestidos de político, isso ocorre no Brasil inteiro, fiscalização séria e eficaz no Brasil é coisa rara e a impunidade é eterna, quem vai mudar o sistema? Se não temos povo para mudar?

Luciano Costa disse:

Domício …. espera sentado que ela vai devolver já já !!!!

domicio holanda disse:

bonito para tu Jacqueline dev. o que recebeu.

Eu disse:

E ainda o atual prefeito quer subestimar a inteligência do cidadão, dizendo que foi buscar o salário dele na prefeitura. E desde quando o salário de um vereador é pago nas dependências de uma prefeitura? Fica a pergunta!!!

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.