Justiça Eleitoral

Gastronomia

#SouRepórterCorreio

TV Correio

Autodefesa
Rama Dantas (Foto: Isis Vilarim / Portal Correio)

Rama Dantas agradece militância e ressalta votos brancos e nulos

Candidata agradeceu à militância que a acompanhou durante os 45 dias de campanha e enfatizou a percentagem de votos brancos e nulos

74
COMPARTILHE

A candidata ao Governo do Estado pelo PSTU, Rama Dantas, divulgou nota na manhã desta segunda-feira (8) comentando o resultado das eleições. A candidata agradeceu à militância que a acompanhou durante os 45 dias de campanha e enfatizou a percentagem de votos brancos e nulos.

‘Democracia dos ricos’

Para Rama, a população entendeu que as eleições não mudam nada em suas vidas, por isso o grande percentual de votos brancos e nulos. “Quase 21% dos eleitores votaram branco ou nulo, e 15% não foram votar. Isso significa que mais de um terço do eleitorado não participou efetivamente do processo. Um setor da população já começou a tender que as eleições não mudam nada nas nossas vidas e que essa democracia é dos ricos”, disparou.

Oligarquias

A candidata ainda atacou os senadores eleitos Veneziano Vital e Daniella Ribeiro. “Se por um lado a derrota de Cássio Cunha Lima, ao senado, representa um golpe em um setor das oligarquias regionais, a eleição de Veneziano e Daniela reforça outro setor oligarca e não o projeto da classe trabalhadora”, disse.

Confira a nota na íntegra:

Em primeiro lugar, quero agradecer em nome de toda a militância do PSTU os 3.145 votos que recebemos, com o fim do primeiro turno na Paraíba. Algumas questões devem ser levadas em consideração em nossa análise, diante de toda essa farsa que é o processo eleitoral (e que denunciamos nos míseros 10 segundos de guia a que tivemos direito), uma pequena mas importante parcela da classe trabalhadora paraibana nos ouviu e depositou seu voto em nosso programa de fazer uma rebelião neste estado.
Mas não vamos nos ater apenas a esses números, outros devem ser levados em consideração, quase 21% dos eleitores votaram branco ou nulo e mais de 15% não foram votar, isso significa que mais de um terço do eleitorado não participou efetivamente do processo, e por que isso?
Um setor importante da classe já consegue entender que as eleições não mudam nada nas nossas vidas, de que essa democracia é dos ricos e que as trabalhadoras e trabalhadores vão ter que encontrar suas formas de mudar e melhorar as suas condições de vida.
A eleição de João no primeiro turno representa a continuidade de um projeto da burguesia, que se beneficia da máquina estatal e que reprime duramente os servidores públicos, como é o caso dos técnicos administrativos.
Se por um lado a derrota de Cássio Cunha Lima, ao senado, representa um golpe em um setor das oligarquias regionais, a eleição de Veneziano e Daniela reforça outro setor oligarca e não o projeto da classe trabalhadora.
Nem a eleição de Daniela representa um avanço, pois mesmo sendo uma mulher, ela é de outra classe e assim não defende as bandeiras históricas das mulheres, pois as nossas bandeiras significam uma luta contra o capital que nos oprime e explora, principalmente através do machismo.
A luta continua, convocamos a classe trabalhadora paraibana a se organizar e a resistir aos ataques que virão por aí, a conhecerem o nosso partido e o nosso programa revolucionário, e juntos construirmos uma rebelião em nosso estado, no Brasil e no mundo.
Sobre a posição do PSTU no segundo turno nacional, a nossa direção está discutindo e ainda esta semana nos pronunciaremos, defenderemos o que acreditamos ser melhor para a nossa classe e para a construção de uma rebelião.

Notícias mais lidas