Funcionários se reuniram durante a manhã desta quinta-feira (06) com diretoria do hospital para falar sobre o desligamento. (Foto: Chico Martins/ Jornal Correio)

HU de CG vai demitir 49 funcionários para contratar concursados

Profissionais foram contratados em 2009 para prestar serviços até que o quadro fosse fechado somente por concursados, o que passa a acontecer agora

440
COMPARTILHE

Ao menos 49 funcionários seletivos do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), serão desligados dos cargos no dia 31 de dezembro deste ano, devido ao preenchimento de quadros por concursados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que administra a unidade hospitalar.

De acordo com o diretor-geral do hospital, Homero Rodrigues, o Ministério do Planejamento estabeleceu um limite para atuação desses profissionais, o que já teria sido excecido. Ele enfatizou que será feito o possível para não haver prejuízo na assistência à população.

“Esse pessoal tem um contrato de 2009. Quando eu estava na diretoria administrativa do hospital, fui ao Ministério Público Federal e disse que havia carência do pessoal; o procurador Alexandre Queiroga entrou com uma ação civil pública e o juiz determinou a contratação temporária desses servidores até que o hospital tivesse a reposição de quadros [com concusados]”, disse o diretor.

Ao Portal Correio, o presidente da Associação de Profissionais Liberais e/Ou Autônomo Prestadores de Serviços Temporários (APLASERT), Alexsandro Carvalho, relatou que essa alteração atinge todas as áreas de assistência da unidade, como fisioterapia, médica, enfermagem, bioquímica, farmacêutica, nutricionista, entre outras.

“De seis meses, foi prorrogado por dois anos e a Justiça deu uma decisão para ficarmos aqui por tempo indeterminado, essa decisão ainda não encerrou, está em andamento e o superintendente está passando por cima dessa decisão e está fazendo esse desligamento”, contestou Alexsandro.

“A gente lamenta muito essa situação porque num quadro de dificuldade de empregabilidade que nós estamos no país, as pessoas perderem esse emprego é uma situação constrangedora não só pra eles, pra gente também, mas desde sempre é sabido que esse contrato é temporário, ele chegaria ao fim em determinado momento”, finalizou Homero.

Pacientes

Alguns pacientes de Fisioterapia chegaram a questionar sobre o atendimento que vinham recebendo e relataram estar em prejuízo com a saída dos profissionais. Luciene Cardozo faz parte dos pacientes de Fisioterapia e disse que já faz quase três anos que ela estava sendo atendida na área, com uma situação de tratamento permanente, que acabou sendo cortada. “Ficamos na fila por meses para conseguir, na terça-feira nós já fomos todos cortados e teremos que enfrentar fila de novo”, enfatizou.

Hospital Universitário lamenta

Segundo o HU da UFCG, os 49 profissionais que serão desligados já tinham conhecimento de que seriam substituídos quando da chegada dos concursados pela Ebserh, que foram convocados ao longo deste ano e estão atuando na unidade.

“Ainda será mantido o contrato com um contingente de temporários (equivalente ao número de vagas estratégicas existentes para futura nomeação de concursados) para que não haja prejuízo aos serviços oferecidos pelo HU. Desde a adesão do hospital à Ebserh, já foram contratados mais de 300 aprovados em concurso público”, informou a assessoria do hospital, em nota.

O HUAC finalizou a nota afirmando que lamenta o desligamento dos profissionais. “A medida é necessária, visto que a instituição precisa se ajustar ao quadro permitido e autorizado pelo Ministério do Planejamento para o porte (864 funcionários) e os serviços oferecidos. Cabe ressaltar que o hospital cumprirá todas as obrigações legais em relação aos trabalhadores temporários”.

De acordo com o HU, a seleção dos trabalhadores temporários se deu com base em dois critérios previamente definidos, registrados em ata de reunião realizada em 16 de fevereiro de 2018:

  • absenteísmo (assiduidade, disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade e responsabilidade);
  • tempo de serviço: saem primeiro os mais antigos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas