Início Cultura

Sesc abre edital para Bienal de Arte Contemporânea na Paraíba

Entre os selecionados, a instituição concederá cinco prêmios Aquisição no valor de R$ 4 mil cada
Foto: Divulgação

O Sesc Paraíba inicia na próxima segunda-feira (2) as inscrições para artistas visuais que desejam participar da Bienal de Arte Contemporânea, que acontece entre os meses de setembro e outubro.

Em 2021, o projeto traz como tema ‘Arte e Utopia: um olhar para um novo mundo’, homenageando o artista paraibano Fabiano Gonper. As inscrições seguem até o dia 20 de agosto e o edital completo com todas as informações está disponível no site www.sescpb.com.br

A Bienal de Arte Contemporânea selecionará 15 trabalhos de artistas paraibanos trazendo possibilidades de experiências poéticas que convidem os visitantes a pensar nos ideais de um novo mundo no pós-pandemia. Cada artista pode inscrever no máximo três obras, que serão analisadas pela comissão curatorial, composta por três curadores convidados pelo Sesc, e o resultado será divulgado no dia 31 de agosto.

Entre os selecionados, a instituição concederá cinco prêmios Aquisição no valor de R$ 4 mil cada, e, ao fim da exposição, as obras premiadas passarão a integrar a Coleção de Arte do Sesc Paraíba. A programação será composta, também, por duas ações formativas no formato virtual, destinada aos 15 artistas selecionados. 

Além de discutir olhares e novas perspectivas sobre o mundo pós-pandemia, a Bienal de Arte Contemporânea também tem como objetivo incentivar a produção de artistas emergentes paraibanos e colaborar na difusão de sua produção por meio da exposição coletiva. As informações completas e toda a documentação e formulários necessários para a inscrição estão disponíveis no site da instituição. Dúvidas ou outras informações podem ser obtidas pelo telefone (83) 3208-3190 ou pelo e-mail [email protected] 

O homenageado 

Fabiano Gonper é um artista visual pessoense e atualmente divide seu trabalho entre a capital paraibana e a cidade de São Paulo, onde fixou moradia. Suas obras buscam trazer questões ligadas ao indivíduo como um ser transitório entre o individual e o coletivo.

Iniciou a vida artística em 1989, por meio de oficinas na Funesc, e desde então já integrou diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior, a exemplo de Alemanha, Equador, Estados Unidos e Inglaterra.

Em 1999, foi residente na École Supérieure des Beaux-Arts, em Genebra, Suíça. É um dos idealizadores do OZ – Espaço Experimental de Arte e Residência Artística, em João Pessoa. 

Palavras Chave

Cultura

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.