Moeda: Clima: Marés:
Início Notícias

Áudios revelam como funcionavam fraudes em leilões

“Por baixo eu dei R$ 18 mil (ao leiloeiro). Mas também o lote ficou para mim por R$ 15 mil (valor do lote pago à empresa), gastei R$ 10 mil para trazer e ficou por R$ 25 mil. Apurei R$ 400 mil (lucro do suspeito)”. Era dessa maneira que suspeitos estavam lucrando em um esquema de fraudes em leilões de veículos cometidos dentro do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB). Ouça outros trechos dos áudios no fim da matéria.

A operação que desmantelou a organização criminosa foi executada nesta terça-feira (28), onde três servidores do Detran-PB foram afastados dos seus respectivos cargos. Em uma parte da gravação é possível ouvir nomes de um servidor do órgão, identificado como Crisanto, de um leiloeiro, identificado como Cléber Melo, e de uma empresa chamada Gerdau.

“No dia lá só tinha eu e um cara da Gerdau. O diretor do Detran tinha comido o dinheiro só para Gerdau participar”.

Em outro trecho é possível ouvir como o esquema beneficiava um suposto diretor do órgão e o leiloeiro.

“O cara compra 720 motos com Cleber Melo, dá R$ 10 mil, ganha R$ 400 mil. Ainda vendeu peças a Crisanto e a equipe dele. Lá tinha um diretor tirando as rodas das motos. Era um rouba, rouba”.

Veja abaixo os dois áudios que foram veiculados durante o programa Correio Debate, da Correio SAT.

 

 

Investigação

As investigações começaram em janeiro e, nesta terça-feira (28), a Corregedoria do órgão deflagrou a Operação Arremate, com objetivo de apreender documentos que comprovassem as atividades ilícitas. Um condomínio de luxo no bairro Altiplano, área nobre de João Pessoa, está entre os endereços alvos da operação.

De acordo com as investigações, fraudes teriam acontecido em ao menos 12 leilões. Antes dos leilões, os melhores lotes eram identificados e arrematados por membros da organização criminosa, porém eles não realizavam o pagamento. Ao invés de os veículos serem postos novamente a leilão – como determina a lei – a comissão autorizava as empresas leiloeiras a repassar os lotes a outros envolvidos no esquema, pelo valor de avaliação inicial do leilão. Duas empresas com sede na capital paraibana são investigadas.

Não houve prisões nesta primeira fase da Operação Arremate, mas cerca de 200 motocicletas foram apreendidas. O Detran-PB ainda analisa listas de bens que podem ter sido arrematados de forma fraudulenta. Em apenas uma delas, constam 499 motos.

Clique aqui e saiba mais sobre o esquema de fraude descoberto no Detran-PB.

Comentários

Francisco disse:

Adorei seu site. Como faço para criar um profissional como o seu. Abraço e sucesso

oteb77 disse:

Nossa…que coisa

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.