Empreender
Reunião com comerciantes definiu normas (Foto: Divulgação

Empreender oferece crédito para comerciantes da ExpoFeira

Estão sendo oferecidas linhas de crédito de até R$ 15 mil para que possam começar a recuperar o prejuízo

181
COMPARTILHE

Uma equipe do Empreender Paraíba se reuniu nesta quarta-feira (31) com um grupo de comerciantes da ExpoFeira de Tambaú, no auditório da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo). Estão sendo oferecidas linhas de crédito de até R$ 15 mil para que possam começar a recuperar o prejuízo com o incêndio ocorrido na madrugada desta terça-feira (30). As linhas de crédito têm carência de seis meses e pagamento poderá ser feito em até 30 meses.

Leia também: Comerciantes relatam falta de estrutura em feira incendiada em JP

Durante a reunião, os comerciantes solicitaram um prazo menor para a liberação dos recursos, mas, por força do edital, eles deverão ter que aguardar, pelo menos, até cinco dias para as propostas serem analisadas. Está descartada a aprovação de comerciantes que estejam com os nomes negativados junto ao Serasa e/ou Serviço de Proteção ao Crédito.

Caso é prioridade

O Empreender Paraíba está tratando o caso como prioridade, conforme orientação do governador Ricardo Coutinho. Os comerciantes também solicitaram tendas para que possam ser instaladas de forma provisória no local onde funcionava a Expofeira, já que alguns tinham material guardado em casa ou em outro local. No entanto, a maioria perdeu tudo, inclusive, todo o material que haviam estocado para se vendido durante a alta temporada de verão, que começa no meio de novembro até final de janeiro de 2019.

Outra preocupação entre os comerciantes diz respeito ao contrato de aluguel com o empresário Sidnei Marcos, que alugou o local e sublocou as áreas. Ao todo eram 42 barracas instaladas na Expofeira e o valor do aluguel varia de R$ 1,4 mil a R$ 2,2 mil, pago semanalmente. Havia uma informação entre os comerciantes, que o empresário não estaria mais interessado em continuar sublocando o espaço.

Nova reunião

À tarde está prevista a reunião com as duas partes. De acordo com a artesã Eliane Gomes, que comercializava produtos de algodão colorido, o prejuízo dela foi de cerca de R$ 22 mil. Conforme a artesã, o movimento das vendas estava fraco, mas havia uma grande expectativa em torno da alta temporada, com a vinda de muitos turistas para João Pessoa. Agora, lamentou, a hora é de correr atrás do prejuízo e tentar recomeçar. “Só hoje a ficha caiu”, afirmou Eliane.

*Fábio Cardoso, Jornal CORREIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias mais lidas