Início Notícias

Abrigos para idosos registram mortes por Covid-19 em JP e CG

Pelo menos três institutos de longa permanência para idosos na Paraíba foram duramente afetados pelo novo coronavírus, ou com suspeitas, em João Pessoa e Campina Grande. Apesar das recomendações emitidas pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), até o começo da tarde desta quinta-feira (28), havia casos confirmados ou em investigação na Associação Promocional do Ancião Dr. João Meira de Menezes (Aspan) e na Vila Vicentina, na Capital, e no São Vicente de Paulo, em Campina Grande, incluindo óbitos.

Vila Vicentina

A Vila Vicentina, em João Pessoa, registrou duas mortes suspeitas. Idosos de 92 e 110 anos morreram com os mesmos sintomas da doença causada pelo novo vírus. Outro idoso, de 74 anos, está intenado em situação grave.

O caso mais recente ocorreu nessa quarta-feira (27), quando um idoso de 110 anos morreu com sintomas suspeitos no Hospital Santa Isabel, em João Pessoa, onde estava internado desde o dia 20 de maio.

Segundo a direção da instituição de longa permanência, oito idosos tiveram resultado positivo para o coronavírus em testes rápidos feitos no local, mas estão isolados com sintomas leves ou assintomáticos.

Dos seis cuidadores com testes positivos para o patógeno, quatro ainda estão afastados das atividades e outros dois devem voltar ao trabalho nesta sexta-feira (29).

Aspan

A Aspan, em João Pessoa, foi a instituição de longa permanência mais afetada, até agora, com a pandemia. O abrigo informou ao Portal Correio nesta quinta-feira (28) que registrou seis idosos mortos por Covid-19 e outros 14 internos com testes positivos para coronavírus, sendo 12 recuperados e 2 em tratamento.

São Vicente de Paulo

Em Campina Grande, o Instituto São Vicente de Paulo registrou 11 cofirmações em testes para coronavírus, sendo seis em idosos residentes e cinco em profissionais. Além desses casos, uma idosa com diagnóstico confirmado da doença morreu na noite de sexta-feira (22), e outra idosa com suspeita de Covid-19 morreu na noite da quinta-feira (21).

MPPB criou comitê para fiscalizar instituições

O Comitê de Monitoramento e Fiscalização das Instituições de Longa Permanência para Idosos, coordenado pelo Ministério Público da Paraíba, expediu recomendação aos gestores dessas entidades para que restrinjam as visitas dos familiares dos idosos, permitindo apenas a situações emergenciais e que justifiquem o contato físico dos idosos com pessoas de fora do abrigo.

Além disso, foi recomendado que as instituições comuniquem imediatamente à Secretaria de Saúde do Município sobre os casos de idosos que apresentarem qualquer sintoma da doença, promovendo, de imediato, a retirada do idoso do convívio comunitário. Os casos suspeitos ou prováveis devem ser notificados de forma imediata (em até 24 horas) pelo profissional de saúde responsável pelo atendimento, à Secretaria de Estado de Saúde.

Segundo o coordenador do comitê, procurador de Justiça Valberto Lira, as medidas são necessárias nesse cenário pandemia do novo coronavírus principalmente porque os idosos fazem parte do grupo de risco.

Ele destacou ainda que as instituições que abrigarem idosos são obrigadas a manter padrões de habitação compatíveis com as necessidades deles, bem como provê-los com alimentação regular e higiene indispensáveis às normas sanitárias e com estas condizentes, sob as penas da lei.

Mais medidas recomendadas:

  • Manter os familiares e responsáveis pelos idosos abrigados informados diariamente, através de telefonemas e outros meios possíveis das condições de saúde e condições gerais dos idosos;
  • Sempre que possível, proporcionar aos idosos abrigados contatos com seus familiares e responsáveis através de vídeo chamadas, telefonemas e/ou outras formas similares;
  • Adotar nos quadros dos funcionários das instituições todas as medidas previstas na Declaração da OMS de Emergência em Saúde Pública de importância internacional e no plano de contingencia estadual;
  • Fornecer todos os equipamentos e materiais necessários aos funcionários e gestores das instituições que lidarão com os idosos acolhidos, como máscaras, luvas, álcool em gel, dispensadores de sabão, lenços de papel, entre outros;
  • Adotar todas as medidas necessárias para higienização das louças e roupas, com a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos. Redobrar os cuidados com a limpeza de maçanetas, portas e áreas de usos comum dos idosos, sempre com material de limpeza adequado;
  • Que se abstenham de abrigar novos idosos até que as recomendações do Ministério da Saúde parem de classificar o quadro como pandemia e que a situação esteja mais controlada no Estado.

Doações

As instituições de longa permanência para idosos precisam de doações de alimentos, produtos de higiene e equipamentos de proteção individual. Veja abaixo como colaborar:

  • Vila Vicentina: (83) 98858-1308
  • Aspan: (83) 3223-2163
    • Caixa Econômica Federal
      Agência: 1010
      Operação 013
      Conta poupança: 15765-0
    • Banco do Brasil
      Agência: 0011-6
      Conta corrente: 41086-1
  • São Vicente de Paulo (CG): (83) 3337-3542

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.