Início Legislativo

Partido afasta Jairinho e vereador deve deixar Conselho de Ética

Vereador foi eleito membro do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores três dias após a morte do enteado Henry Borel
Parlamentar é suspeito de matar enteado (Foto: Reprodução)

O Solidariedade afastou o vereador Dr. Jairinho, preso nesta quinta-feira (8) por envolvimento na morte do enteado Henry Borel, de 4 anos. Além do partido, o parlamentar também deve ser afastado do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores. A informação é do R7.

Em nota, o partido informou que aguarda a apuração do caso e as decisões da Justiça. A legenda também disse que repudia “todo e qualquer tipo de maus tratos e violência, principalmente contra crianças e adolescentes”.

Já o Conselho de Ética da Câmara deve se reunir às 18h desta quinta para analisar o pedido de afastamento do parlamentar feito pela vereadora Teresa Bergher.

“Precisa ser afastado imediatamente. Pela imagem da casa, pela credibilidade de cada um de nós vereadores e por respeito a esta criança vítima de um cruel assassinato e a toda a população que representamos”, disse Teresa.

Jairinho foi eleito membro do conselho no dia 11 de março, três dias após a morte de Henry. Caso seja afastado, quem assume sua vaga é o suplente vereador Luiz Ramos Filho (PMN).

O caso

Henry morreu na noite do dia 8 de março após chegar ao hospital com dificuldades para respirar. Segundo o laudo do IML (Instituto Médico Legal), os ferimentos que causaram a morte foram feitos por uma ação violenta.

Monique e Jairinho se ausentaram da reconstituição do crime na semana passada, alegando quadros de depressão. A reprodução simulada da morte do menino contou com a presença de dois peritos e do Ministério Público.

Em uma perícia realizada simultaneamente no apartamento do casal, foram localizadas supostas manchas de sangue em pedaços do papel de parede da sala e do quarto onde dormia o menino Henry.

Ao Domingo Espetacular, da Record TV, uma ex-namorada de Dr. Jairinho disse que ela e a filha dela foram vítimas do vereador carioca. Ela contou que, durante o relacionamento, a filha, na época também com 4 anos, sofreu uma série de agressões por parte do vereador.

A então namorada também relatou violência e afirmou que Dr. Jairinho a agrediu: “Chegou a me pegar pelo pescoço”. A filha dessa ex-namorada também deu depoimento, em uma delegacia especializada no Rio no final de março, sobre a suposta agressão que sofreu do parlamentar há 8 anos.

Palavras Chave

Legislativo

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.