Início Notícias

Corretores veem risco grave de crise com paralisação do MCMV

A paralisação de recursos do ‘Minha Casa, Minha Vida’ (MCMV) tem causado problemas que podem desencadear em uma grave crise no setor imobiliário da Paraíba. A reclamação é dos corretores e construtores do estado, que fizeram uma carreata durante manifestação nesta terça-feira (26), em João Pessoa.

Desde essa segunda (25), o Portal Correio aguarda uma posição do Ministério do Desenvolvimento Regional para que explique o porquê dos recursos não estarem sendo liberados.

A carreata

Centenas de construtores, corretores de imóveis e representantes de empresas imobiliárias participaram de ato público em protesto pela suspensão de recursos financeiros para MCMV.

A carreata teve início pela manhã, nos Bancários, e percorreu as principais avenidas do bairro, parando próximo às agências da Caixa Econômica Federal na avenida Sérgio Guerra e no Campus da UFPB, seguindo pelos bairros do Castelo Branco e Miramar, até chegar à Superintendência da CEF, na Avenida Epitácio Pessoa.

Caixa

A Caixa Econômica já havia informado que qualquer demanda referente ao MCMV deve ser tratada diretamente com o Ministério do Desenvolvimento Regional. Ainda assim, uma comitiva de manifestantes foi recebida pela gerente regional de construção civil da Caixa Econômica Federal na Paraíba, Aline Paiva, que previu para março a normalização no repasse dos recursos.

Risco de crise

“Geramos 30 mil empregos diretos e desde então só tivemos promessas não cumpridas da Caixa, já recorremos à bancada federal paraibana, que também não nos deu atenção”, desabafou o construtor Hélio Carvalho, da HACS Serviços e Construções.

Segundo ele, as desculpas são as mais variadas: “Ora a Caixa diz que governo federal não passou o subsídio, ora diz que é o FGTS e nesse meio tempo as cartas de crédito vencem dentro das agências”, disse o construtor Jair Teodoro.

Jair destacou a gravidade da situação, que além de gerar desemprego no setor da construção civil, afeta a economia, pois fornecedores de material de construção deixam de vender e corretores de imóveis deixam de receber seus honorários pela intermediação na venda dos imóveis.

Comentários

  • Diego Reis disse:

    Estou com esse mesmo problema no Rio de Janeiro. Comecei minha obra em 01/02/2019 e até hj (22/03/2019) não recebi a medição da primeira etapa que estava prevista para 01/03/2019. A Caixa diz que o sistema mudou e que não está liberando. Mas nesse meio tempo acumulei varias dividas contando com o recurso.

  • Joana Massambani Ruthes disse:

    Um descaso com a população de baixa renda.
    Força Bolsonaro!

  • Felipe gomes disse:

    o sistema financeiro habitacional do país ,em específico do programa MCMV , vem castigando o setor da construção civil e imobiliário desde outubro de 2018 . A falta de recursos está desencadeando demissões no setor e o governo não dá nenhuma resposta concreta.

  • Juva disse:

    fiz uma busca na imprensa nacional e este caso só acontece na paraíba e no Ceará……….impressionante!

  • Alex disse:

    Eu estou vivendo Esta realidade estou aguardando a verba para assinar o contrato desde dezembro de 2018 e hoje quase três meses minha carta está vencendo e vou perder o prazo e ter que passar novamente por todo processo e fiquei sabendo que está mais difícil para aprovar pois o governo mudou os critérios, que ótimo para Ajuda e a quem precisa o governo não ajuda mais os altos padrão Esta tudo ok ,o mais triste é saber que pagamos caro para ter nosso sonho realizado e quando tudo está indo bem ,vem o novo governo e para tudo sem da nem uma explicação.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.