Início Notícias

Ricardo poderá suspender contratação de PMs

O governador Ricardo Coutinho (PSB) disse nesta segunda-feira (21) que poderá suspender a contratação dos 500 policiais que serão aprovados no concurso da Polícia Militar e obras nas áreas de segurança hídrica e a abertura de um hospital.

Durante o programa semanal que ele tem em uma rádio estatal, ele disse que a medida é para repassar R$ 2 milhões a mais do duodécimo do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB). O repasse ocorre em cumprimento a uma liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, de forma monocrática, após ação judicial da Presidência do TJPB para repasse de 100% do orçamento do Poder Judiciário.

“Essa decisão impõe ao Estado – caso não seja revertida – algumas medidas emergenciais, que infelizmente impactam a vida das pessoas. Permanecendo esta decisão, o Governo do Estado não pode manter a contratação dos 500 policiais que serão aprovados no concurso da Polícia Militar”, alertou Ricardo Coutinho, pontuando, no entanto, que o concurso será mantido, inclusive com realização das etapas restantes.

Segundo ele, ações na área de saúde também serão comprometidas. “Eu anuncio ainda suspensão da abertura do Hospital de Cacimba de Dentro, que terá custeio de R$ 400 mil ao mês. Além disso, estou fazendo um esforço tremendo para não cortar as cirurgias cardíacas em adultos do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires”, declarou.

O chefe do Executivo paraibano disse ainda que outras ações de governo poderão deixar de ser realizadas. “Eu também não poderei licitar uma obra essencial, que é a adutora da região 89, em Catolé do Rocha. Quando chegar a transposição do eixo norte da transposição captaria água diretamente do Rio Piranhas, estabelecendo segurança hídrica, beneficiando a população de Bom Sucesso, Mato Grosso, Jericó, Lagoa e Brejo dos Santos”, comentou.

Outra obra comprometida na área de segurança hídrica é a 3ª etapa do sistema adutor Nova Camará. “É uma obra que liga Arara, Solânea e a área alta de Bananeiras, contemplando ainda Casserengue”, acrescentou.

O governador disse que o Estado recorre da decisão do ministro Ricardo Levandowski sob pena de prejudicar a população. “Hoje, estou repassando um cumprimento que chega a quase R$  2 milhões, já com o encargo de ter de repassar o mês de abril”, afirmou.

Concurso da PM

O concurso da Polícia Militar foi anunciado pelo governador em. Na época, ele disse que seriam 1000 vagas, sendo 500 para contratação neste ano outras 500 para a próxima gestão do Estado. Nesse fim de semana ocorreu a segunda etapa do certame.

A Comunicação da PM disse que não sabe detalhes da medida porque ela é administrativa e não partiu do Comando-Geral. O Portal Correio procurou a Secretaria de Administração do Estado, mas os telefonemas não foram atendidos.

Comentários

  • Gean disse:

    Terrorismo, porque ele não corta as gratificações exorbitantes do alto escalão e os codificados, toda vez e a mesma conversa.

  • Eitel Santiago de Brito Pereira disse:

    O Governador Ricardo Coutinho deve cumprir seu dever constitucional e repassar sem descontos as verbas douodecimais dos outros poderes. O cumprimento dessa obrigação não o impedirá de contratar novos policiais, quando terminar o concurso que está em andamento, nem desencadear outras ações em favor da segurança e da saúde dos paraibanos. Ele pode, por exemplo, economizar em gastos com as mordomias da Granja Santana, com a publicidade enganosa de sua Administração, com a campanha antecipada de seus candidatos ao Governo e ao Senado, com os desperdícios da incompetência gerencial de muitos setores de sua administração. O que não pode é propagar que os fracassos em alguns setores do seu governo decorrem de uma decisão do STF que se limitou a determinar que ele repasse os recursos orçamentários necessários ao funcionamento de outro poder. Grato pela publicação. Eitel Santiago de Brito Pereira.

  • Cristiano Amarante disse:

    A História tão criticada pelo Governador se repete realizar concurso sem condições de contratar . Ação judicial nele .

  • Rafael de Freitas disse:

    É incrível a ganância por dinheiro deste judiciário. A verdadeira realeza brasileira.

  • gilberto silva disse:

    conversa fiada, demitir os codificados que deve estar sendo contratados mais para tentar eleger o candidato dele ai sai com essa, tem que repassar o duodecimo na totalidade sim, diminuiu esses repasses para pagar aos codificados colocados para agradar a seus apadrinhados. deixa de lorota.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.