Campina Grande

Pólio e sarampo

#SouRepórterCorreio

TV Correio

UFPB
UFPB (Foto: Reprodução/Google Street View)

UFPB investiga assalto e deve fechar todas as entradas

CCSA informou que não foram encontrados indícios concretos para comprovar a existência do arrastão

882
COMPARTILHE

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) investiga um suposto assalto dentro de uma sala de aula do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da instituição. O crime teria acontecido na noite dessa quarta-feira (12), quando o bandido teria roubado dinheiros de alunos e da professora. Agora, a instituição deverá fechar todas as entradas para tentar evitar os crimes.

Segundo a reitora da UFPB, Margareth Diniz, o suposto arrastão teria sido comunidade por alunos da instituição, mas em averiguação, o diretor do CCSA, Walmir Rufino da Silva, não confirmou o ocorrido.

“O meliante abriu a porta, não estava armado e pediu dinheiro. Vou conversar com o diretor do Centro para saber de fato como o evento. Não minimizo absolutamente nada e toda providência que possa ser feita pela Universidade tem sido feita e continua sendo na medida em que aparecer qualquer fato novo”, afirmou Margareth.

Por meio de nota, o CCSA informou que não foram encontrados indícios concretos para comprovar a existência da referida ocorrência e que a Coordenação do Curso de Graduação em Administração e a Chefia do Departamento de Administração desconheciam o crime.

“Ainda está em apuração a origem dessa notícia, uma vez que até o momento não encontramos razões que sustentem a existência do fato”, informou a direção do CCSA.

Plano é fechar portões

Em entrevista à Rede Correio SAT, a reitora afirmou pretende tomar outras medidas para garantir a segurança de estudantes e funcionários da instituição. Entre essas medidas está o armamento de fogo para seguranças e fechamento das entradas, liberando apenas pessoas com identificação.

“Estamos criando uma superintendência de segurança da Universidade desmembrando da atual prefeitura universitária com estes encaminhamentos: vigilância-portaria, política de segurança para a Universidade como um todo, vigilância eletrônica, operacionalização do contrato dos terceirizados que hoje nós temos vigilância armada. O pessoal diz que a universidade é para ser 100% aberta e o vigilante não é para ser armado. Não pode ser assim, na Universidade o vigilante vai ser armado sim, a porta vai ser fechada sim e o controle vai ter que ser efetivo porque a bandidagem, a roubalheira e a violência que acontecem na cidade está refletindo dentro da Universidade”, contou Margareth.

Outros casos na UFPB

Outros crimes e ameaças têm sido registrados recentemente no campus da UFPB em João Pessoa. Em 18 de julho, foi noticiado um arrastão no local; também na instituição, estudantes foram presos com drogas; depredação de carro e casos de assédio também já foram registrados no campus neste ano. Sobre os casos, a UFPB minimizou os casos e os classificou como “pontuais”.

Notícias mais lidas